YAT YUEN JÁ LIQUIDOU MULTA DE 25 MILHÕES

A Companhia de Corridas de Galgos (Yat Yuen) já pagou ao Instituto para os Assuntos Municipais (IAM) a multa de 25 milhões de patacas que lhe foi aplicada devido ao abandono dos galgos no Canídromo. Segundo o IAM, a empresa desembolsou cinco milhões de patacas até Dezembro para assumir as despesas com tratamentos dos galgos. Já em relação às adopções, o IAM mantém Maio como prazo para concluir o processo. Até quarta-feira, tinham sido adoptados 191 galgos – 180 rumaram aos EUA, cinco para Itália e seis ficaram em Macau. O Canídromo ainda alberga 310 animais.

 

SJM PONDERA AVANÇAR COM AJUSTE SALARIAL

A Sociedade de Jogos de Macau (SJM) está a ponderar oferecer actualizações salariais razoáveis em 2019 tendo em conta as condições económicas, mercado de emprego, resultados da empresa e o índice de preços, entre outros factores, referiu a directora executiva da operadora. Durante uma visita da Federação das Associações dos Operários à SJM, Angela Leong revelou que no dia 1 de Janeiro a operadora distribuiu bónus aos seus funcionários qualificados.

 

RAEM ACOLHE REGATA INTERNACIONAL DE VELA

Macau vai acolher a primeira regata internacional de vela no território, evento que arranca hoje e decorrerá até domingo com a participação de cerca de 300 velejadores, de 20 equipas. A iniciativa inclui duas competições: Regata Internacional Taça Macau e Regata da Taça Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, explicou o Instituto do Desporto. Na regata internacional vão participar equipas da Austrália, Canadá, Estónia, Filipinas, França, Alemanha, Japão, Rússia, Singapura e Emirados Árabes Unidos. Já na Taça Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, participam equipas de Cantão, Shenzhen, Hong Kong e Macau.

 

JUSTIÇA JAPONESA REJEITA PEDIDO PARA LIBERTAR GHOSN

Um tribunal de Tóquio rejeitou ontem o pedido apresentado pela defesa do ex-presidente da Nissan, o brasileiro Carlos Ghosn, para pôr fim à sua detenção. A defesa sustentava que a acusação de suposta violação da confiança da empresa, não correspondia porque as acções vinculadas com esses factos contavam com a aprovação da Nissan. Na terça-feira, Ghosn declarou-se inocente de todas as acusações. No seu primeiro depoimento desde que foi há detido, há quase dois meses em Tóquio, por suposta fraude financeira, Carlos Ghosn afirmou que agiu com “honra, legalmente e com o conhecimento e a aprovação dos directores da Nissan”.

 

COMBOIO DO LÍDER DA COREIA DO NORTE DEIXOU PEQUIM

O comboio especial de Kim Jong-un partiu ontem de Pequim, assinalando o fim da quarta visita do líder da Coreia do Norte à China, onde se reuniu com o Presidente Xi Jinping, noticiou a agência AFP. Fiel à tradição, o governo chinês manteve em segredo o programa da visita de Kim a Pequim, mas a agência sul-coreana Yonhap indicou que Kim reuniu-se com Xi durante uma hora e terá discutido uma possível segunda cimeira com o Presidente americano, Donald Trump. Depois, Kim e a mulher, Ri Sol-ju, jantaram com o Presidente Xi e a primeira-dama, acrescentou a Yonhap.

 

TAIWAN PLANEIA EXERCÍCIOS DE DEFESA CONTRA INVASÃO

O Exército de Taiwan anunciou uma série de exercícios militares em grande escala para 2019 que prevêem tácticas de defesa contra uma possível invasão chinesa, em resposta à ameaça de Pequim de usar a força para controlar a ilha. Segundo o chefe de planeamento do Ministério da Defesa, o general Yeh Kuo-hui, os exercícios em 2019 “estão a ser ‘desenhados’ com base na adopção de novas tácticas de defesa contra uma possível invasão chinesa”.

 

AUSTRÁLIA ANALISA PEDIDO DE ASILO DE JOVEM SAUDITA

O Ministério do Interior australiano confirmou ontem ter recebido o pedido de asilo da jovem saudita que está sob a protecção do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) em Banguecoque, e irá analisar o caso. O ACNUR considerou que Rahaf Mohammed Al-Qunun, de 18 anos, que fugiu para a Tailândia, é de facto uma refugiada e pediu à Austrália que lhe concedesse asilo. As autoridades tailandesas informaram que o pai e um irmão de Rahaf estão em Banguecoque, mas a jovem recusou encontrar-se com ambos.

 

DEMOCRATAS EXIGEM “REABERTURA” DO GOVERNO DOS EUA

Os líderes democratas no Congresso dos EUA criticaram o discurso do Presidente americano, que apontou para uma “crise crescente” na fronteira com o México, e exigiram que Donald Trump termine com a “paralisação” do Governo, “fechado” parcialmente há 18 dias. “O Presidente Trump deve deixar de manter como refém o povo americano, deixar de fabricar uma crise e deve voltar a abrir o governo”, disse a presidente da Câmara Baixa, Nancy Pelosi. Num discurso à nação, Trump pediu 5,7 mil milhões de dólares para erguer uma barreira de aço entre Estados Unidos e México. A actual paralisação da máquina federal provocada pelo impasse no orçamento afecta cerca de 800 mil funcionários, que estão em casa sem remuneração à espera de uma decisão.