DETIDO POR AGREDIR NAMORADA COM UMA PANELA

As autoridades policiais de Macau detiveram um residente de 40 anos, suspeito de ter agredido a namorada, de 29 anos, com uma panela, causando-lhe ferimentos na face e cabeça, noticiou o jornal “Exmoo News”. O indivíduo tornou-se agressivo depois da vítima, oriunda do Continente, tentar convencê-lo a não consumir álcool, embora o casal já tivesse discutido no passado por outras razões, nomeadamente monetários. A mulher conseguiu fugir de casa e alertar a polícia, que já encaminhou o caso para o Ministério Público.

 

SISMO EM TAIWAN SENTIDO EM MACAU E HONG KONG

Um sismo de magnitude 5,6 na escala de Richter foi ontem registado ao largo da costa oeste de Taiwan, tendo sido sentido em Macau e Hong Kong. Segundo a imprensa de Taiwan, não há registo de vítimas ou danos materiais. Em Macau, os Serviços Meteorológicos e Geofísicos recolheram “vários relatos da população sobre o abalo sísmico”, que ocorreu a 534 quilómetros do território, enquanto o Observatório de Hong Kong recebeu perto de mil contactos de cidadãos que sentiram o sismo.

 

BANIF ADOPTA DESIGNAÇÃO DE INVESTIDOR CHINÊS

O Bison Bank é a nova designação do Banif – Banco de Investimento, lançada ontem em Portugal, com foco nos segmentos de “wealth management”, gestão de activos e banca de investimento. Em comunicado, os chineses da Bison Capital Financial Holdings (Hong Kong), que adquiriram a parte do Banif que estava na Oitante, destacam que “é com base na ligação privilegiada ao mercado asiático que o Bison Bank irá distinguir-se das restantes entidades financeiras no nosso país”, em “especial neste actual contexto em que Portugal se posiciona como o segundo país europeu que mais investimento chinês recebe, quando ponderado pela sua dimensão económica”. O banco pretende servir como ponte financeira entre a Ásia, Europa e vice-versa.

 

COREIAS APRESENTAM INÉDITA CANDIDATURA A PATRIMÓNIO MUNDIAL

Seul e Pyongyang apresentaram ontem à UNESCO uma candidatura conjunta para a inclusão da luta tradicional coreana na lista do Património da Humanidade, numa iniciativa sem precedentes. “Esta candidatura conjunta é um primeiro passo histórico no caminho para a reconciliação inter-coreana e recorda-nos o poder extraordinário do património cultural como vector de paz e ponte de união entre os povos”, declarou à AFP a directora geral da UNESCO, Audrey Azoulay. A luta tradicional coreana – chamada “Ssirum” no Norte e “Ssireum” no Sul – está vinculada sobretudo à agricultura, sendo um desporto nacional e uma prática cultural muito popular nos dois países.