QUATRO DETIDOS POR TENTAREM CRIAR SINDICATO NA CHINA

A Amnistia Internacional (AI) denunciou a situação em que vivem vários funcionários presos na China por tentarem formar um sindicato, que estão impedidos de ver as famílias e com um acesso restringido aos advogados. A AI pediu ao governo chinês que os quatro homens “sejam libertados ou julgados de acordo com os padrões internacionais em julgamentos justos, e não pelo exercício pacífico dos seus direitos à liberdade de expressão e reunião”. Desde Maio, funcionários da Jasic, que tem fábricas em Shenzhen e Chengdu, têm vindo a reivindicar os seus direitos, depois de a empresa demitir os trabalhadores mais críticos.

 

COREIA DO SUL DESTRÓI MAIOR MATADOURO DE CÃES

O maior matadouro de cães da Coreia do Sul começou a ser desmantelado, um “momento histórico” para activistas dos direitos animais que querem travar o consumo de carne canina no país. O complexo Taepyeong-dong, localizado em Seongnam, sul de Seul, agrupava pelo menos seis matadouros, que abrigavam centenas de cães e era um dos principais fornecedores de carne canina de restaurantes especializados em todo o país. O complexo vai dar espaço a um parque público.

 

OSAKA ORGANIZARÁ EXPO UNIVERSAL EM 2025

A cidade de Osaka, no Japão, vai acolher a Exposição Universal em 2025, pela segunda vez na história, depois de ultrapassar Ecaterimburgo, na Rússia, e Baku, capital do Azerbaijão, numa votação realizada em Paris. O Primeiro-Ministro nipónico, Shinzo Abe, descreveu a notícia como uma “grande oportunidade para transmitir o encanto do Japão ao mundo” e mostrou-se convicto de que o evento irá contribuir para aumentar o número de turistas no país e revitalizar as economias regionais. Osaka foi palco da Exposição Universal em 1970, sob o tema “Progresso e Harmonia para a Humanidade”. Desta vez, apresenta-se ao mundo com o tema “Conceber a sociedade do futuro, imaginar a nossa vida amanhã”, entre Março e Novembro de 2025.

 

“COLETES AMARELOS” ESPALHARAM O CAOS NOS CAMPOS ELÍSIOS

A mobilização do movimento conhecido como “coletes amarelos” que espalhou o caos no sábado na avenida dos Campos Elísios em Paris terminou com mais de 100 detenções, anunciou ontem a polícia. Os distúrbios, que prosseguiram até à noite de sábado, deixaram 24 feridos, incluindo cinco agentes das forças de segurança. O novo protesto dos “coletes amarelos”, reuniu 106.000 pessoas em toda a França, incluindo 8.000 em Paris, segundo o Ministério do Interior. O movimento denuncia o aumento dos preços dos combustíveis e a perda do poder de compra.