A finalidade do terreno do Canídromo está definida, e o Chefe do Executivo reiterou que não terá qualquer finalidade comercial. No seu aproveitamento, além de se manterem algumas das instalações actuais para utilização educativa e social, vai ser criado um reservatório subterrâneo em resposta a problemas de cheias

 

Para resolver problemas de inundações, os planos para utilização do terreno do Canídromo prevêem a criação de um reservatório. A dificuldade em encontrar terrenos na zona norte vai levar ao aproveitamento do terreno apenas para fins educativos.

Algumas das instalações actuais vão manter-se, sendo que os espaços subterrâneos dos terrenos serão aproveitados, por exemplo, por tanques de retenção de águas. “Em situações de inundações ou em caso de chuvas torrenciais, um tanque de retenção de água contribui para resolver algumas das situações. Por isso, o Governo está a realizar um estudo sobre isto”, disse Chui Sai On em resposta aos deputados.

De resto, o Chefe do Executivo garantiu que o terreno de “milhares de pés quadrados” será para construção de escolas, que deverão ocupar cerca de 20 a 30% do espaço, bem como para instalações desportivas e outros equipamentos sociais. E reiterou que não terá quaisquer finalidades comerciais ou de jogo.

Isto, apesar de reconhecer como dificuldades a alta densidade populacional e o elevado trânsito na zona, para além e que “há escolas naquelas zonas que já disponibilizam serviços excelentes aos residentes”.

O governante adiantou ainda que o Secretário para os Transportes e Obras Públicas já recebeu o relatório sobre o plano de aproveitamento do terreno, e que o documento vai ser apresentado ao Conselho de Renovação Urbanística para discussão.

 

S.F.