Os advogados de Macau acorreram ontem às urnas, naquela que foi “a maior votação de sempre” na associação, segundo salientou o presidente reeleito, Jorge Neto Valente, a este jornal

 

Liane Ferreira

 

As eleições para os corpos dirigentes da Associação dos Advogados de Macau (AAM), que decorreram ontem ao final do dia, contaram com a maior adesão já registada, apesar de haver apenas uma lista concorrente.

Em declarações à TRIBUNA DE MACAU, Jorge Neto Valente, reeleito presidente da direcção, indicou que foram contabilizados 261 votos, dos quais 242 válidos e oito nulos.

“A lista teve 242 votos. São os tais votos manipulados, que tinham dito que não iam votar porque eram manipulados, mas votaram mais do os subscritores da lista. Nunca houve uma votação tão elevada, foi a maior de sempre”, afirmou Neto Valente, claramente satisfeito com o desfecho da jornada eleitoral, salientando ser necessário “conhecer um bocadinho o meio ambiente”.

Recorde-se que antes da oficialização das candidaturas para a AAM, o advogado Sérgio de Almeida Correia apresentou uma carta de intenções para se candidatar à associação, marcando o início de um período de troca de críticas com Neto Valente. No entanto, Sérgio de Almeida Correia acabou por desistir de entrar na corrida.

Neto Valente apresentou uma lista com 200 subscritores num universo total de 400 advogados.

Nesta votação, Frederico Rato também foi reeleito presidente do Conselho Superior de Advocacia com 246 votos.

A lista reeleita para o biénio 2019-2020 é liderada por Jorge Neto Valente, na direcção, e Philip Xavier e Rui Cunha como presidentes da Assembleia-Geral e do Conselho Fiscal, respectivamente. Além de ter sido um dos fundadores da associação, Neto Valente ocupa a presidência da direcção desde 1995, exceptuando um período entre 2000 e 2002.