HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

A Assembleia Legislativa de Macau aprovou já na madrugada de sábado as Linhas de Acção Governativa em Assuntos Sociais e Orçamento, após um debate dominado pela oposição de deputados chineses à decisão do Governo de incluir no orçamento para 1999 saldos acumulados dos exercícios anteriores. O executivo, que esteve representado no plenário da Assembleia Legislativa pelo secretário-adjunto para os Assuntos Sociais e Orçamento, Alarcão Troni, justificou a consolidação de saldos com uma “política de transparência”, sendo o orçamento de 1999 o último executado pela Administração portuguesa de Macau. Mas durante o debate, que se prolongou por mais de nove horas, deputados chineses manifestaram com insistência “preocupação” e “dúvidas” sobre as razões do governo para a inclusão no orçamento dos saldos acumulados, no valor de 2,4 mil milhões de patacas. Alarcão Troni, exaustivo e didáctico nas explicações dadas aos deputados, afirmou que “não é intenção ‘a priori’ da Administração portuguesa gastar os saldos”, mas que “os saldos serão mantidos, aumentados ou utilizados consoante a evolução da crise económica que afecta Macau e a região Ásia-Pacífico, e de acordo com o comportamento das duas componentes essenciais da receita que revelam maior volatilidade – o jogo e as (concessões de) terras”, que para este ano têm estimados crescimentos negativos de 15 por cento e 25 por cento, respectivamente.

 

APREENDIDO MATERIAL BÉLICO PERTENCENTE A SOCIEDADE SECRETA

A Polícia Judiciária apreendeu ontem no Território uma pistola metralhadora de fabrico chinês AK47 e diverso material bélico que estava “na posse” da tríade “Grande Círculo”, originária da China, disse à Lusa uma fonte da corporação. A apreensão foi efectuada no decorrer de uma operação numa residência do centro da cidade onde, de acordo com uma nota da PJ, foi encontrado “um vasto conjunto de material bélico” constituído por “engenhos explosivos, munições de armas de fogo, granadas e uma espingarda metralhadora AK47”. Durante a operação policial não foi, no entanto, detido nenhum indivíduo, disse a mesma fonte policial. Alguns dos explosivos encontrados pela PJ possuíam, segundo a mesma nota, “dispositivos de detonação com controlo remoto”. De acordo com o comunicado da PJ a operação é “resultado de diligências iniciadas há bastante tempo” e foi “accionada na sequência de mandados de busca emitidos pelo Tribunal de Instrução Criminal”.