HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

Macau e Hong Kong são consideradas sociedades “parcialmente livres” num relatório anual da organização Freedom House, sediada em Nova Iorque. Macau é classificado com notas de seis pontos em direitos políticos e quatro pontos em liberdades civis numa escala de um a sete pontos, em que um ponto representa o mais alto grau de liberdade. A Região Administrativa Especial de Hong Kong teve em 1998 a classificação de cinco pontos em direitos políticos e três em liberdades civis, enquanto a República Popular da China é classificada pelo relatório como um país “sem liberdade”, com a nota mais baixa, sete pontos, em direitos políticos e seis pontos em liberdades civis. O relatório salienta que a classificação de Hong Kong na escala da liberdade se degradou desde a transferência da soberania da Grã-Bretanha para a China em 1997, com a classificação de 1996 a contar quatro pontos em direitos políticos e dois em liberdades civis.

 

UNG VAI MENG VAI DIRIGIR MUSEU DE ARTE E CULTURA

O artista local Ung Vai Meng vai ser nomeado director do futuro Museu de Arte e Cultura, que ficará localizado no Centro Cultural de Macau a ser inaugurado em Março de 1999. A decisão foi tornada pública durante a sessão do Leal Senado e anunciada pelo seu presidente José Sales Marques. Ung Vai Meng, 40 anos, iniciou-se na pintura e desenho em 1975 tendo em 1981 apresentado pela primeira vez publicamente as suas pinturas numa Exposição Colectiva de Artes Plásticas realizada em Macau. Ung Vai Meng é actualmente funcionário do Instituto Cultural. O espólio do Museu de Arte e Cultura de Macau será constituído pelas peças do património do antigo Museu Luís de Camões.

 

APOSENTADOS DE HONG KONG NA MIRA DO IMOBILIÁRIO

A Associação de Pequenas e Médias Empresas e o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau vão executar em conjunto o projecto “Aposentação em Macau”. Recentemente, estas duas instituições trouxeram ao Território mais de uma centena de funcionários aposentados de Hong Kong para estudarem as possibilidades que lhes oferece o mercado local do imobiliário. O objectivo do projecto visa encorajar as pessoas da vizinha região administrativa especial a adquirirem apartamentos e radicarem-se no Território depois da sua aposentação em Hong Kong. A mais valia do projecto é o preço baixo que oferece o imobiliário em Macau. Mais de 100 aposentados de Hong Kong (entre eles, alguns no activo na presente administração) estiveram no Território em 20 e 27 de Dezembro tendo visitado dois grandes edifícios e estudado as facilidades que os mesmos oferecem.