HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

“As responsabilidades de Portugal não podem nem devem terminar no dia 20 de Dezembro de 1999”, afirmou Leonel Alves, deputado e membro da Comissão Preparatória, perante mais de 700 portugueses, maioritariamente naturais de Macau, que se reuniram num jantar para falar, de uma “forma realista e pragmática”, sobre o presente e o futuro da comunidade portuguesa. A comunidade portuguesa de Macau terá de ser “mais dinâmica, mais interventora e mais ousada na luta pelos seus direitos” se quiser permanecer no Território, defendeu Leonel Alves, para quem “é chegado o momento de optar entre abandonar ou continuar na nossa própria terra”. Habitualmente apontado como líder da comunidade macaense, estatuto que no entanto tem recusado assumir, Leonel Alves considerou que os portugueses que optarem por ficar em Macau deverão adoptar uma “posição interveniente” e “lutar por uma permanência digna”, não abdicando do “espaço que é seu por direito próprio”. “Esta opção tem que ser clara, decidida e assumida, se possível publicamente e de forma coerente”, sublinhou às centenas de presentes aquele membro português da Comissão Preparatória da Região Administrativa Especial de Macau. Num discurso que se prolongou por cerca de 40 minutos, frequentemente interrompido por aplausos, Leonel Alves considerou que os “portugueses de Macau precisam de informações concretas e fiáveis para poderem ponderar a situação actual e o grau de expectativa quanto ao seu futuro”. Defendeu, por isso, ser “necessário que os discursos políticos das entidades responsáveis, locais e nacionais, sejam efectivamente esclarecedores”. “Mesmo que não agrade a certos sectores, a verdade tem que ser dita”, enfatizou.

 

JORGE RANGEL COORDENA CERIMÓNIA DE TRANSFERÊNCIA

O Governador de Macau nomeou o secretário-adjunto Jorge Rangel responsável pelo Gabinete de Coordenação da Cerimónia de Transferência da Administração do Território. O GCCT foi criado a 13 de Novembro com a natureza de “equipa de projecto” por despacho de Rocha Vieira, tendo como objectivos a “promoção e coordenação das acções relacionadas com a realização da Cerimónia de Transferência de Poderes da República Portuguesa para a República Popular da China”. Rocha Vieira indigitou igualmente João Costa Antunes, director dos Serviços de Turismo, para exercer as funções de coordenador do GCCT na dependência directa de Jorge Rangel, que tutela as áreas da Administração, Educação e Juventude.