Énio de Souza passou pelo Instituto Cultural entre 1983 e 1999
Énio de Souza passou pelo Instituto Cultural entre 1983 e 1999

O Albergue SCM vai receber um seminário sobre música e instrumentos chineses em Portugal, com a presença de Énio de Souza, antigo director do Departamento de Animação Cultural do IC. No levantamento de instrumentos musicais chineses foram encontrados cerca de 400 em Portugal

 

Para promover as artes junto da população, o Albergue SCM acolhe na próxima segunda-feira, pelas 18h30, o seminário “Música e Instrumentos Musicais Chineses em Portugal”, pelo investigador Énio de Souza, e o lançamento oficial do livro da sua autoria “Instrumentos Musicais Chineses – Colecção do Museu do Centro Científico e Cultural de Macau”.

O seminário vai decorrer em inglês e dará a conhecer o acervo de instrumentos musicais chineses em colecções públicas e privadas em Portugal.

“Iniciámos, em Novembro de 2011, o levantamento organológico chinês existente em Portugal e, até Fevereiro de 2015, em seis colecções circunscritas a Lisboa, foi possível localizar cerca de quatro centenas de instrumentos musicais chineses”, indicou o investigador em comunicado enviado pelo Albergue SCM.

O inventário abre “uma nova via de investigação mais abrangente, que é da identificação iconográfica de instrumentos musicais chineses em objectos de tipologias diversas, no quadro das artes em Portugal”, comentou. O investigador deixou ainda um alerta: “Se Portugal pretende estar actualizado no domínio dos Estudos Asiáticos, com especial destaque para a China, a sua música e respectiva organologia, torna-se imprescindível a criação de redes científicas com países asiáticos e ocidentais que detêm, há muito, competências nesta matéria”.

“A organologia chinesa em Portugal é rica e consistente, mas lamentavelmente não há estudos sistemáticos académicos sobre esta matéria. Mesmo em universidades, que integram um departamento de música, verifica-se a inexistência de uma disciplina ou de um seminário relacionados, directamente, com a música e os instrumentos musicais chineses”, referiu, acrescentando que este “trabalho poderá vir a ser um contributo importante para a reconstituição de cenas do quotidiano chinês”.

Énio de Souza foi responsável pela organização e coordenação do Serviço Educativo do Museu do Centro Científico e Cultural de Macau, em Lisboa, desde a sua inauguração a 19 de Novembro de 1999, e passou pelo Instituto Cultural de Macau  entre 1983 e 1999, onde se destacou como director do Departamento de Animação Cultural. Além disso, participou por exemplo na criação do Conservatório de Macau (Música e Dança), da Orquestra de Câmara e Orquestra Chinesa de Macau, bem como do Festival Internacional de Música de Macau e do Festival de Artes.

 

S.F.