“Hato” causou grandes estragos no Centro de Ciência em Agosto de 2017
“Hato” causou grandes estragos no Centro de Ciência em Agosto de 2017

O Centro de Ciência de Macau continua em obras desde a passagem do tufão “Hato”, processo que deverá custar mais de 100 milhões e só deverá estar concluído em Novembro próximo

 

Viviana Chan

 

A reparação do Centro de Ciência de Macau deverá custar 100 milhões de patacas, afirmou o presidente dos Conselho de Accionistas. As obras começaram em 2017 após a passagem do tufão Hato, no entanto, segundo Liu Chak Wan, envolveram mudanças em vários aspectos, em termos de design e instalações, pelo que é necessário mais tempo e mais recursos financeiros.

Questionado sobre o montante elevado desta empreitada, Liu Chak Wan defendeu que o nível dos preços dos materiais e da mão-de-obra aumentou significativamente ao longo de uma década no território, exemplificando que o custo de construção de uma habitação subiu de 600 patacas para 2.000 patacas por pé quadrado.

Segundo o mesmo responsável, se apenas fosse necessário mudar as placas da parede exterior, seria barato, mas não poderia garantir que as restantes placas não iriam sair do lugar. Nesse sentido, a obra actual inclui a substituição de todas as placas, para evitar mais reparações no futuro.

De acordo com o jornal “Ou Mun”, o edifício do Centro de Ciência registou danos a vários níveis devido aos tufões, “Hato” e “Mangkhut”. Actualmente, está a decorrer a segunda fase dos trabalhos de reparação, prevendo-se que seja concluída em Novembro do presente ano.

Na realidade, as obras de reparação começaram em 2015, quando o Centro sofreu danos devido a um incêndio. Na altura, Liu Chak Wan foi questionado sobre uma possível indemnização da companhia de seguros, tendo indicado que seria necessário perguntar à Assembleia Geral. No entanto, indicou que a Fundação Macau deveria apoiar no pagamento dessa despesa, mas não disse em quanto.