A pouca informação sobre a futura construção de muretes de prevenção de inundações, no Porto Interior, está a preocupar os moradores da zona

 

O projecto de construção de muretes de 1,5 metros de altura, num comprimento de 2,13 quilómetros no Porto Interior, para prevenir as cheias está a inquietar os moradores, uma vez que o Governo não revelou pormenores sobre a obra, incluindo o respectivo calendário e medidas para aliviar o impacto na zona.

O vice-presidente da Associação de Mútuo Auxílio dos Moradores da Marginal pretende saber, por exemplo, se os muretes podem impedir a saída de água nas cheias ou se o progresso da obra vai afectar os barcos, que circulam diariamente no canal do Porto Interior.

Lei Chung Yin expressou as suas preocupações no programa da TDM “Fórum Macau”, apesar de garantir que concorda com a ideia dos muretes, que se vão estender da Escola de Pilotagem ao Edifício portuário do Lam Mau. Além disso, chamou a atenção para a importância de continuar com a dragagem de areias na zona, para evitar a sua acumulação.

Por sua vez, o presidente da Federação da Indústria e Comércio de Centro e Sul Distritos advertiu que os cidadãos podem suportar o incómodo das obras durante pouco tempo. Lei Chok Kuan recordou que a questão das cheias não é nova e, desde o grave tufão “Hagupit”, em 2008, o problema no Porto Interior nunca foi resolvido.

Já a Associação dos Engenheiros, representada por Sio Chi Weng, pediu ao Governo para melhorar a coordenação da obra no sentido de minimizar o impacto no trânsito e funcionamento dos cais.

Para tentar amenizar o problema das cheias, o Executivo propôs a realização desta obra a curto prazo, enquanto espera avanços no sistema de comportas de retenção de marés para uma solução a longo prazo. No entanto, este projecto dos muretes só tem conclusão prevista para 2019, o que deixa os moradores numa situação de incerteza face à época de tufões que se avizinha.

 

V.C.