O Centro Científico e Cultural de Macau (CCM), em Lisboa, recebeu entre segunda-feira e ontem o colóquio internacional “China/Macau and Global Maritime Connections”, numa organização conjunta do CCCM, Fundação Macau, Centro de História da Universidade de Lisboa, com o patrocínio da Fundação Jorge Álvares e o apoio do Casino Estoril. Ao longo de três dias, 18 investigadores europeus e chineses apresentaram trabalhos e dialogaram sobre os universos marítimos internacionais (Mares do Sul da China, Índico, Atlântico, Pacífico) enquanto conexão de rotas, plataformas litorais, produtos, línguas, tecnologias, informação. As investigações centram-se na primeira modernidade global (séculos XVI-XVIII) mas sempre com abordagens, comparativas e associativas, da mais longa duração. De acordo com a Fundação Macau, o colóquio foi acompanhado do lançamento de livros e inauguração de uma exposição de arte. O presidente da Fundação Macau, Wu Zhiliang salientou que a Fundação começou a co-organizar este tipo de colóquio sobre a história de Macau a partir de 2012, tendo as anteriores edições abordado as ligações entre a Macau e o mundo ocidental e o processo de globalização. Estas actividades visam promover a comunicação académica e cultural entre a China e Portugal.