O festival das lanternas do Coelhinho que foi inaugurado há três dias na Galeria Espaço Arte Livre em Lisboa, está a continuar a ter um enorme sucesso entre personalidades ligadas a Macau, alunos das escolas secundárias da região de Lisboa e até uma Escola de Teatro. Para os próximos dias já estão programadas mais visitas guiadas a pedido de diversas organizações culturais.

Segundo a organização, por lá já passaram o antigo Governador de Macau, Carlos Melancia, o Professor Luis Filipe Barreto, presidente do Centro Científico e Cultural de Macau e embaixadores de vários países europeus acreditados em Lisboa.

O facto das lanternas serem feitas com materiais tão simples como arame de bambu tem continuado a fascinar os visitantes, tanto pelas lanternas em si como pela forma como estavam expostas. O facto de ser uma tradição chinesa com mais de 2.000 anos dá um “toque de exotismo” a esta surpreendente exposição.

Estando já assente que para o próximo ano se realizará nova exposição, o grande interesse despertado pelas Lanternas do Coelhinho veio demonstrar que a Galeria Espaço Arte Livre é demasiado pequena para acolher os interessados.

Já houve conversas, por isso, para encontrar um lugar maior, estando a ser equacionadas vários espaços de maior dimensão. Um deles é o Museu de Electricidade, mas segundo o director do Albergue Carlos Marreiros nos confidenciou ontem “não há ainda nenhuma certeza sobre isso”, ao contrário do que o JTM anunciou há dois dias.