Kwok Chi Chung diz que o plano para criar a base de dados está a ser “muito complicado”
Kwok Chi Chung diz que o plano para criar a base de dados está a ser “muito complicado”

Apesar do consenso sobre a criação de uma base de dados para devedores de jogo, o mecanismo continua sem sair do papel e passa mesmo por uma fase “muito complicada”, adiantou o presidente da Associação de Mediadores de Jogos e Entretenimento à TRIBUNA DE MACAU. O Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais já deu um parecer sobre o mecanismo, mas envolve “muitos pontos sensíveis” e há dúvidas de que venha a avançar

 

Liane Ferreira e Viviana Chan

 

Em Janeiro de 2016, o sector dos promotores de jogo chegou a um consenso inicial sobre a criação de uma base de dados para devedores de jogo, garantindo a protecção da privacidade dos visados, mas a ideia ainda não se concretizou, tendo sido submetida à análise do Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais.

Numa resposta a este jornal, a Direcção de Inspecção e Coordenação de Jogos (DICJ) adiantou que em relação “à base de dados de crédito dos promotores de jogo, a associação de promotores de jogo está a tratar de algumas emendas para que seja instituída de acordo com os requisitos do Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais”.

No entanto, contactado pela TRIBUNA DE MACAU, Kwok Chi Chung, presidente da Associação de Mediadores de Jogos e Entretenimento de Macau, afiançou que o processo não está a correr de forma tão suave como dava a entender, atravessando mesmo numa “fase complicada”.

“A resposta do Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais apontou alguns problemas à proposta da associação, nomeadamente muitos pontos sensíveis”, avançou Kwok Chi Chung, sem relevar pormenores.

Dois dos problemas anteriormente referidos prendiam-se com a necessidade de obtenção de “autorizações das pessoas para integração na base de dados” e definir quem “vai aceder” ao website.

Reiterando que o estabelecimento da base de dados está a ser “muito complicado”, uma vez que envolve dados pessoais dos jogadores, o presidente da associação explicou que não há um prazo para a criação desse sistema. “Continuamos a apreciar o mecanismo e não temos calendário para isso”, disse o mesmo responsável, mostrando-se pouco confiante quanto ao desfecho do processo.

“Simplesmente, não sei”, respondeu Kwok Chi Chung, quando questionado se estava optimista sobre a aprovação do projecto.

Em 2016, o deputado Zheng Anting que, falava em nome do sector dos “junkets”, salientou que “a criação do novo sistema requer o empenho em conjunto de todos os departamentos”. “A garantia é necessária, é melhor ter menos negócios do que negócios de má qualidade”, defendeu, recordando ainda que um site que fornecia esse tipo de informações acabou por ser fechado pelas autoridades por divulgar dados sem a devida autorização.

Em Abril do ano transacto, o Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais começou a analisar a proposta da associação dos “junkets”, que pretende usar a base de dados para verificar a situação do crédito e credibilidade dos jogadores VIP.