Na sequência do anúncio de um novo regime de fixação de residência para quadros qualificados nas áreas de tecnologia e ciência, o Chefe do Executivo anunciou que haverá uma consulta pública sobre a importação dos profissionais

 

O Chefe do Executivo partiu ontem para Pequim, para assinar um acordo com a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma no âmbito da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”. Antes de deixar Macau, Chui Sai On disse que será realizado um estudo, e posteriormente uma consulta pública, sobre a importação de quadros qualificados. “Temos de ouvir as opiniões de vários sectores da sociedade e fazer um estudo académico para depois saber qual a opção”, disse, citado pela Rádio Macau.

A informação foi dada no âmbito no plano anunciado pelo Secretário para a Economia e Finanças de criar um novo regime de obtenção de residência para quadros qualificados nas áreas de tecnologia e ciência, sem a necessidade de obtenção de um contrato de trabalho ou investimento.

A discussão sobre o programa de atracção de quadros vai começar “brevemente” na Comissão de Desenvolvimento de Talentos, segundo refere uma nota oficial. Chui Sai On salientou a responsabilidade de Macau “manter a competitividade do território para um desenvolvimento sustentável, prosperidade e estabilidade a longo prazo”, afirmando que os quadros qualificados “são fundamentais” em “qualquer sociedade”. Para além disso, enfatizou a importância da formação dos profissionais locais e exploração do potencial dos jovens.

O líder da RAEM apontou para o lançamento de medidas para atrair profissionais do Continente e territórios vizinhos, indicando que Macau “precisa de também avaliar e rever as políticas e medidas existentes para a atracção de quadros qualificados em todos os campos” para ficar à altura da concorrência regional. No entanto, alertou que a proposta anunciada recentemente está apenas em fase de concepção, pelo que “não é definitiva”.

 

Acordo seguido de coordenação

Depois da assinatura do acordo de apoio à participação de Macau no projecto “Uma Faixa, Uma Rota”, será criado um mecanismo de reunião conjunta, que o Chefe do Executivo considera que irá “contribuir para um melhor desempenho de coordenação entre os serviços”, indicou uma nota oficial.

 

S.F.