20140123-119f

Eva Vital conseguiu um novo recorde português de sub-23 nos 60 metros barreiras, com uma marca que lhe garantiu os mínimos para os Mundiais de pista coberta

 

No “meeting” do Centro de Alto Rendimento (CAR) do Jamor, que a Federação de Atletismo de Portugal organizou, a jovem atleta macaense que representa o Benfica melhorou o recorde nacional dos 60 metros barreiras no escalão sub-23, que já detinha desde o ano passado, com 8,20 segundos, ao conseguir agora 8,13. Esta marca fica apenas a cinco centésimos do recorde nacional absoluto de outra benfiquista, Isabel Abrantes, que o detém com 8,08 desde 2001.

Além do novo recorde, Eva Vital conseguiu ainda obter os mínimos para participar nos Mundiais de pista coberta, que decorrerão em Sopot, na Polónia, entre 7 e 9 de Março.

Filha de um casal de fisioterapeutas, Eva Vital nasceu em Macau mas foi viver para Portugal com apenas seis anos de idade. Representa o Benfica desde 2010, tendo já conseguido várias marcas de realce para o atletismo português.

Este foi, aliás, o resultado mais relevante do conjunto de provas realizado no “meeting” do CAR, embora seja ainda de salientar os 5,50 metros de Edi Maia no salto com vara. O atleta do Sporting havia batido no passado sábado, em França, o recorde de Portugal, com 5,70.

Foi bom o conjunto de resultados nos 60 metros, com três atletas abaixo de 6,80 segundos: triunfou Yazaldes Nascimento, com 6,75, seguido de outros dois benfiquistas, Ricardo Monteiro, com 6,77, e Diogo Antunes, com 6,79.

Cátia Pereira melhorou na vara para 4,15 metros, e são relevantes ainda os 13,80 de Patrícia Mamona no triplo, os 7,52 segundos de Carla Tavares nos 60 metros (conseguiu 7,51 na eliminatória), os 8,07 de Samuel Remédios nas eliminatórias de 60 metros barreiras, e os 2,12 metros de Roman Guliy e Paulo Conceição na altura.

 

P.A.S.