A Polícia Judiciária deteve um homem que foi acusado por uma jovem do Continente de ter abusado sexualmente dela. Embora admita ter tido relações sexuais com a mulher, o indivíduo nega a acusação

 

Uma mulher da China Continental apresentou queixa na Polícia Judiciária (PJ) por ter, alegadamente, sido vítima de abuso sexual por parte de um homem que acabou por ser detido pelas autoridades.

De acordo com a PJ, a mulher, de 25 anos, foi abordada por um homem num autocarro que a transportava até um dos casinos de território, acabando por ser convidada a jantar na sua companhia e de alguns amigos. Após consumir uma quantidade elevada de álcool, a jovem terá perdido os sentidos e acordado na manhã seguinte num quarto de hotel, sem algumas peças de roupa, o que a terá levado a apresentar queixa por abuso sexual.

Através da visualização das imagens de videovigilância, a PJ pôde ver que a mulher foi carregada para o quarto por três indivíduos mas apenas dois terão saído do local logo a seguir. Embora admitindo ter tido relações sexuais com a mulher, o suspeito nega tratar-se de um caso de abuso, garantido que tudo aconteceu com o seu consentimento.

 

Idoso encontrado morto em casa

Noutro caso, a PJ deslocou-se a um apartamento depois do Corpo de Bombeiros ter sido alertado por um vizinho que dava conta de um cheiro nauseabundo com origem na fracção ao lado da sua.

Ao entrar no apartamento, os agentes e “soldados da paz” depararam-se com o corpo de um homem na casa dos 70 anos. As autoridades ainda não conseguiram determinar há quantos dias o homem teria falecido.

 

Apanhado na fronteira com 14 gramas de heroína

As autoridades detiveram no posto fronteiriço das Portas do Cerco um homem que estava na posse de 14,08 gramas de heroína, que terá comprado na China. O indivíduo disse ter pago 1.550 renminbis pela droga que alegou ser para consumo próprio. Já foi presente ao Ministério Público.

 

Furto em residência gera prejuízo de um milhão

Um furto numa residência na Estrada dos Sete Tanques, na Taipa, terá levado a perdas de um milhão de patacas. Segundo as autoridades, a proprietária da habitação esteve três dias ausente e, ao regressar, encontrou a porta trancada por dentro. Com a ajuda do vizinho conseguiu abrir a porta e verificou que tinham sido furtadas várias peças de joalharia e outros objectos. Os suspeitos que terão entrado pela janela, ainda estão a monte.

 

 

I.A./R.P.