Os estudantes de ensino superior que pretendam começar uma carreira associada ao empreendedorismo e que tenham um plano novo de negócios em mente podem tentar obter financiamento através da competição regional de empreendedorismo do Banco da China de 2019, cujos vencedores seguirão para uma final a nível nacional

 

A Universidade de Macau (UM) co-organiza a competição regional de empreendedorismo do Banco da China de 2019, sendo que as três equipas vencedoras vão representar o território a nível nacional, na tentativa de ganharem um milhão de renminbis e acesso a uma plataforma de financiamento com apoio económico até 50 milhões.

As candidaturas já estão abertas, podendo participar todos os actuais estudantes do ensino superior de Macau, bem como residentes da RAEM que se encontrem a estudar em instituições desse nível de ensino no exterior. Os interessados deverão submeter as candidaturas até 13 de Fevereiro. O objectivo é “encorajar os estudantes universitários a começar o seu próprio negócio, dando-lhes uma plataforma para conectar estudantes com empreendedores e potenciais investidores”, explicou a UM em comunicado.

Os prémios da competição regional representam um total de 120 mil patacas. A equipa posicionada em primeiro lugar arrecadará 50.000, em segundo lugar 30.000 e em terceiro 10.000. O valor restante é dividido em parcelas de 5.000 por prémios extraordinários, melhor “trade show”, melhor argumentação de elevador e equipa conjunta da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong e Universidade de Macau. Este último prémio foi criado para potenciar equipas mistas das duas universidades.

A vertente regional da competição conta com várias rondas, intercaladas com workshops e seminários na área de economia e de inovação, até se conhecer qual o melhor plano de negócios apresentado num jantar de entrega de prémios que decorrerá no dia 24 de Abril.

As equipas que ficarem posicionadas nos três primeiros lugares da competição regional, seguem para a final em representação de Macau. A grande final é organizada pela Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong. Dada a vertente nacional, espera-se também que a iniciativa promova intercâmbio cultural e colaboração económica entre Pequim, Cantão, Shenzhen, Hong Kong, Macau e áreas vizinhas, através da junção da juventude destas cidades.

 

S.F.