A visita de Xi Jinping é “uma ocasião histórica para as relações sino-portuguesas, sendo que deverá impulsionar a parceria estratégica global entre os dois países a dar entrada numa nova era”, afirmou o embaixador da RPC em Portugal, Cai Run

 

Segundo o diplomata, “Portugal afirma-se como uma plataforma eficaz para as empresas chinesas actuarem no exterior, bem como para projectos de cooperação trilateral. Portugal é um participante importante na construção da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, bem como um parceiro e amigo da China no contexto da União Europeia e da diplomacia multilateral”.

Citado pelo Diário do Povo, Cai Run destacou que as relações sino-portuguesas atravessam um momento positivo histórico. “Os intercâmbios de alto nível entre os dois países têm sido frequentes, a confiança política mútua foi aprofundada, e a cooperação pragmática em diversos domínios tem produzido resultados frutíferos. A China é actualmente o maior parceiro comercial de Portugal na Ásia, e, por seu turno, Portugal é o quinto maior destino de investimento chinês na Europa”, disse salientando que “o investimento da China em Portugal ultrapassa os 9 mil milhões de euros, envolvendo áreas como energia, eletricidade, finanças, seguros, saúde, entre outros, produzindo benefícios económicos e sociais significativos”.

O embaixador chinês frisou, por outro lado que “simultaneamente, o investimento de Portugal na China tem também vindo a crescer de forma consistente. Portugal é o primeiro país da UE a estabelecer formalmente uma “parceria azul” com a China, deverá ser o primeiro da zona euro a emitir títulos de dívida em RMB na China e criará, juntamente com a China, workshops “Luban”. Para Cai Run, é possível afirmar que “a cooperação pragmática entre a China e Portugal, baseada na recolha de benefícios mútuos, representa um modelo a seguir, com perspectivas positivas de desenvolvimento no futuro”.

 

Uma afinidade natural

“Portugal é um país com uma tradição marítima antiga, sendo o ponto inicial da rota marítima da seda na Europa. Todos os quadrantes da cidade portuguesa apresentam uma afinidade natural face à construção da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, tendo interesse em tomar parte neste projecto. O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa e o Primeiro-Ministro António Costa afirmaram já de forma clara o seu apoio e vontade de que Portugal participe na construção da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, alinhando as oportunidades e frutos destes resultantes na estratégia de desenvolvimento de Portugal”, adiantou ainda o embaixador Cai Run, realçando que “um dos pontos importantes da construção da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota” é a sua comunhão com as aspirações do povo”.

Para comprovar esta tese, o diplomata referiu, segundo o Diário do Povo, que “desde 2013, a cidade de São João da Madeira, passou a incluir nas escolas primárias o ensino de mandarim”, e “actualmente, 12 escolas públicas do município contam com cerca de 800 alunos que estudam o idioma chinês como disciplina curricular”. Em contrapartida lembrou que “o número de estudantes chineses que estudam português também tem apresentado um aumento muito significativo nos últimos anos”.

Com estes argumentos, o embaixador da RPC espera que China e Portugal “agarrem as oportunidades proporcionadas por esta visita histórica e apliquem os resultados delas decorrentes, para que o desenvolvimento da parceria estratégica global China-Portugal produza efeitos ainda mais contundentes”.

 

JTM com Diário do Povo