A Primeira Dama da China voltou a destacar-se pela sua conhecida elegância. Para o primeiro dia da visita a Lisboa, Peng Liyuan optou por um vestido verde bordado com uma capa de pele. Muitos emigrantes chineses que se concentraram nas imediações do Mosteiro dos Jerónimos, apesar da via principal ter sido vedada, também apostaram na tradição, envergando trajes de seda.

 

Momentos de tensão

Apesar do êxito da visita de Xi Jinping a Portugal houve alguns momentos de tensão. Um deles foi junto ao Mosteiro dos Jerónimos quando o seu carro blindado se aproximou de Marcelo Rebelo de Sousa, que o aguardava. A tradutora chinesa que esperava pela chegada de Xi Jinping tentou aproximar-se do carro, mas foi impedida pela segurança portuguesa, até alguém perceber que não havia problema. A segurança portuguesa contou com a ajuda dos agentes chineses que acompanham Xi Jinping para afastar manifestantes das causas tibetanas e a favor dos direitos humanos na China. Exemplo disso foi quando um cidadão de origem asiática junto ao Museus dos Coches apareceu de megafone em punho proferindo palavras de ordem contra a China. Pragmaticamente, os chineses usaram uma bandeira enorme da China para tapar o manifestante, fazendo com que desaparecesse das objectivas dos fotógrafos e dos operadores de câmara das televisões.

 

Uma coroa de flores para Luís de Camões

Logo no primeiro dia da sua visita, o Presidente Xi Jinping depositou uma coroa de flores no túmulo do poeta português Luís de Camões, no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa. À noite de terça-feira, o Presidente Xi e a sua esposa Peng Liyuan, junto com o Presidente Marcelo Rebello de Sousa, também visitaram uma exposição de relíquias culturais “A Cidade Proibida e a Rota da Seda Marítima”, exibida temporariamente num museu português.