O francês Jean-Karl Vernay venceu ontem a primeira corrida da Taça do Mundo de Carros do Turismo, no entanto, mantém uma postura em relação às duas provas que tem hoje pela frente. O piloto André Couto ficou em 21º lugar

Inês Almeida*

A primeira prova da Taça do Mundo de Carros de Turismo foi interrompida a meio, ficando-se por cinco das 10 voltas que era suposto ter. Jean-Karl Vernay, ao volante de um Audi, saiu vitorioso e ficou feliz com o resultado, porém, mantém uma postura cautelosa para a corrida de hoje.

“Tive um início bom, consegui manter-me, fiquei no segundo lugar, que já era muito bom e esperei por um ‘safety car’. Isso aconteceu na volta a seguir. Tentei manter-me na frente, não cometer erros, ser consistente”, indicou o piloto francês. “Estou muito feliz pela Audi, pela equipa”. Porém, ressalva, “ainda há mais duas corridas e temos de nos manter concentrados para fazer uma corrida inteligente”. “Até podemos celebrar amanhã, mas hoje ainda há um longo caminho a percorrer”.

Yvan Muller, num Hyundai, ficou na segunda posição. “Pensei que tinha uma oportunidade no início. Não tinha assim tanta esperança mas consegui estar lado a lado com ele [Vernay] mas depois do ‘safety car’ não havia como. Não conseguia manter Jean-Karl [Vernay] atrás de mim. Tinha duas opções: Tinha a opção de trancar a porta, mas aí corria o grande risco de perder duas ou três posições, depois do Mandarim. Preferi deixá-lo passar e garantir o segundo lugar. Ainda tentei fazer alguma pressão, mas ele foi demasiado bom”, admitiu.

A última posição do pódio foi ocupada por Rob Huff, que seguia ao volante de um Volkswagen Golf e que confessou ter sentido algumas dificuldades. “Não tive um início horrível mas também não foi o melhor. No primeiro sector temos mais dificuldades. Nós ganhamos a nossa velocidade no topo da colina e acabámos por ter dificuldades. Somos rápidos no topo mas não nos locais onde temos o potencial de ultrapassar, por isso, temos de tentar ficar à frente e para tal é preciso um melhor começo”, apontou o piloto britânico.

O piloto de Macau, André Couto ficou em 21º lugar, um resultado aquém das expectativas após uma “corrida de sobrevivência”, conforme explicou à Agência Lusa. “Para mim foi mau. Não estou habituado a estes lugares” lamentou, explicando que não estava na sua zona de conforto.

De recordar que André Couto já venceu o Grande Prémio de Macau de Fórmula 3 em 2000. Actualmente corre em competições de Carros de Turismo. Questionado sobre a possibilidade de competir na RAEM no próximo ano, o piloto admitiu estar mais focado nas próximas provas na China, já na próxima semana e, posteriormente, no Japão.

*com Lusa