Catarina Brites Soares e António Aresta são os vencedores da edição de 2018 dos Prémios de Jornalismo e Ensaio da Lusofonia, respectivamente, decidiu o júri desta iniciativa instituída em 2017 pelo Jornal Tribuna de Macau em parceria com o Clube Português de Imprensa, com o patrocínio da Fundação Jorge Álvares e este ano com o apoio do JL – Jornal de Artes, Letras e Ideias.

Reunido no Grémio Literário em Lisboa, o júri presidido por Dinis de Abreu e integrado por José Rocha Diniz, Carlos Magno, José Carlos Vasconcelos e José António Silva Pires, congratulou-se com a “afluência de trabalhos concorrentes” e “a notória qualidade verificada”, acabando por atribuir, por unanimidade, o prémio na categoria “Ensaio” ao trabalho “Miguel Torga: um poeta português em Macau”, da autoria de António Aresta, “considerando que se trata de uma narrativa consequente sobre a visita histórica do grande poeta a Macau, com passagem por Cantão e Hong Kong”.

O júri entendeu ainda que o ensaio premiado “condensa o imaginário de Miguel Torga, no seu primeiro e único contacto com o território de Macau, cruzando-o com outras referências da época”. Além disso, o autor salienta “o sentido da portugalidade sempre implícito na divulgação de Macau por Torga”.

Na categoria “Jornalismo”, o júri deliberou atribuir o prémio, por unanimidade, ao trabalho intitulado “Ler sem limites”, de Catarina Brites Soares. Trata-se de um texto publicado no semanário “Plataforma”, que desenha uma panorâmica das leituras mais frequentes em Macau, com um levantamento de livros e autores que circulam livremente no território, incluindo alguns que, por diferentes razões, têm limites de acesso fora da RAEM.

Os prémios, com o valor unitário de 5.000 euros, serão entregues a 31 de Outubro, no Clube Militar, durante a sessão comemorativa do 36º aniversário do Jornal TRIBUNA DE MACAU, com a presença do General Garcia Leandro, presidente da Fundação Jorge Álvares.

Consulte o Regulamento do Prémio de Jornalismo da Lusofonia.