A prova de qualificação para a Taça do Mundo de GT da FIA foi liderada do princípio ao fim pelo brasileiro Augusto Farfus Junior que na sexta-feira tinha ficado em segundo lugar. Essa posição ontem foi ocupada por Raffaele Marciello que começou a prova na “pole position”

Inês Almeida

Do princípio ao fim da prova Augusto Farfus Junior manteve-se na “pole position” da qualificação para a Taça do Mundo de GT da FIA depois de nos treinos cronometrados de sexta-feira ter ficado em segundo lugar mesmo no final da corrida. A “prata” foi para Raffaele Marciello, que arrancou na “pole position” enquanto Maro Engel fechou o pódio.

Para o piloto brasileiro que hoje começa a corrida na frente, “Macau é sempre especial”. “A Taça GT aqui tem tido pilotos extremamente talentosos e por isso é sempre especial”. No ano passado, não sabia muito bem “o que esperar”, por esse motivo, este ano houve uma preparação mais intensiva.

“Ontem comprometi-me desde a primeira volta em qualificar-me, quis dar tudo, e foi o que fiz. Consegui a liderança desde a primeira volta e depois veio o ‘safety car’ e depois de se ir embora dei o meu máximo. Claro que hoje não conta assim tanto, mas é bom começar na primeira fila hoje”.

De qualquer modo, ressalva o piloto cuja volta mais rápida foi concluída em 02:17:987, “há umas melhorias que têm de ser feitas ao carro, mas estou pronto para amanhã”. “Temos uma equipa forte que trabalha muito, por isso, espero que amanhã tenhamos o mesmo sorriso nos lábios”, sublinhou o piloto brasileiro que participa na prova pela terceira vez.

Augustus Farfus Junior foi mais longe sublinhou que “quando se faz uma corrida como esta, saindo em primeiro, vencendo a prova com alguma margem, mostra que o conjunto se comporta muito bem e isso dá logicamente esperança”. “Não podemos começar amanhã com outra expectativa a não ser vencer a prova”.

Raffaele Marciello, que tinha partido da “pole position” devido à vitória de sexta-feira admitiu que esta foi uma prova difícil. “Tive um bom início. Não sei o que podia fazer para ele [Augustus Farfus Junior] ficar atrás. É difícil. Mesmo amanhã, começando do segundo lugar, não sei se vai ser possível ultrapassá-lo porque foi muito rápido no primeiro sector e depois no segundo e terceiro. Precisamos de encontrar outra forma de o ultrapassar no início”.

O pódio da corrida fecha com Maro Engel. O alemão acredita que o resultado conseguido pela sua equipa foi positivo, pois, conseguiu “ter os três carros no ‘top 4’”. Ainda assim, ressalva, “gostava de ter um carro na pole position”. “É uma corrida de classificação, por isso, temos de fazer gestão de riscos e foi o que fizemos. Vamos ver o que podemos fazer amanhã”.

Esta corrida ficou marcada por um incidente entre Edoardo Mortara e Laurens Vanthoor logo nas primeiras voltas que estava a ser analisado pela organização e poderá resultar numa penalização para o piloto suíço-italiano que venceu a prova no ano passado.

A final da Taça do Mundo de GT está marcada para hoje às 12:25.