A vitória do Lokomotiv do Moscovo sobre o Galatasaray tirou toda a carga emotiva ao jogo do Dragão, já que o apuramento de FC Porto e Schalke estava garantido. Restava a dúvida do primeiro lugar no grupo D, que os “dragões” acabaram por conquistar. Atlético de Madrid e Borussia de Dortmund preencheram mais duas vagas nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões

 

Costa Santos Sr*

 

Os ventos moscovitas trouxeram boas novas para os alemães e serenaram a ansiedade portista. Na recepção ao Galatasaray, a inesperada vitória por 2-0 do Lokomotiv de Moscovo – que somou os primeiros pontos no grupo D ainda pode sonhar com a Liga Europa, desde que o FC Porto vença na Turquia a 12 de Dezembro – garantiu, desde logo, o apuramento dos “dragões” e do Schalke, ficando em aberto apenas a questão do primeiro lugar, claramente a pender para os donos da casa. Muito mais tranquilos quanto ao futuro, os alemães procuraram retardar o domínio exercido pelos portistas logo nos primeiros minutos de jogo, tentaram adiar a materialização dessa superioridade e até, mais afoitos, ensaiaram alguns lances de ataque que, invariavelmente, morriam no meio-campo da “casa”.

Numa noite fria, um jogo morno. Com lances de ataque apontados à baliza alemã, mas com Fahrmann a realizar exibição de grande estilo e a anular lances que a bancada se preparava para festejar.

O golo de Eder Militão, aos 52’, resultante de um canto curto e de um passe atrasado para Corona, com este a descobrir o central no coração da área sem marcação, acabou por repor a justiça no jogo. Além disso, “espicaçou” os da casa para aumentarem a vantagem, já que a estratégia alemã, ferida com o golo sofrido, não demorou a desunir-se. Três minutos depois, com todo o espaço e tempo do mundo, Corona e Brahimi desenharam a mais bonita jogada de ataque, em tabelinhas rápidas, e o mexicano, em meia dúzia de passos, ficou isolado na cara de Fahrmann quase a “perguntar-lhe” para que lado queria a bola!

O FC Porto abrandou de ritmo mas não de intenção: Felipe rematou à barra (61’), Corona disparou rente ao poste (aos 64’) e, depois, entrou-se num “período” de substituições, tirando o ritmo que o onze vinha evidenciando. Até que surgiu o golo do Schalke (89’), na transformação de um pontapé de penalty, por suposta mão de Otávio. Bentaleb “enviou” Casillas para o lado e fez a bola entrar pelo outro. Restava muito pouco tempo para qualquer reacção, mas como os alemães ainda pensavam em levar um ponto para casa, foram na aventura de atacar, subindo as linhas e, claro, desguarnecendo o seu sector recuado. Pagaram por isso. Um passe longo para Marega, metido entre os dois últimos defesas, foi bem recepcionado e melhor concluído, fixando o resultado final em 3-1.

No grupo A, Atlético de Madrid e Borussia Dortmund também conseguiram o “passaporte” para os “oitavos” da Liga dos Campeões. Em Madrid, os “colchoneros” derrotaram o Mónaco por 2-0 e o Dortmund empatou a zero em casa com o Brugge.

Em contrapartida, no grupo B, com o Barcelona já apurado a vencer por 2-1 na visita ao PSV, reina a emoção na luta pelo segundo lugar, depois do Tottenham ter derrotado o Inter por 1-0, igualando os italianos na classificação. Na última jornada, o Tottenham visita o Barcelona e o Inter recebe o PSV.

No Grupo C, é ainda maior a “confusão”: Nápoles e PSG venceram o Estrela Vermelha (3-1) e Liverpool (2-1), pelo que as duas vagas para os “oitavos” apenas serão preenchidas na última ronda. O Liverpool (seis pontos) visitará o Nápoles (nove), enquanto o Estrela Vermelha (quatro) vai receber o PSG (oito).

 

*Jornalista profissional especialista em desporto