O FC Porto segurou a liderança da I Liga Portuguesa ao triunfar no Bessa, com um golo solitário nos instantes finais de uma partida que terminou com os ânimos exaltados e a expulsão de Sérgio Conceição

 

Costa Santos Sr*

 

Já se jogava o quinto minuto da compensação quando Hernâni colocou a bola no fundo da baliza axadrezada. Foi o princípio de uma confusão tremenda, com empurrões e o árbitro, Hugo Miguel, a assistir no meio-campo, serenamente. O árbitro, que já tinha dado ordem de expulsão ao director do FC Porto, ainda no decorrer do encontro, repetiu a cena com Sérgio Conceição que, ao seu estilo, festejou o golo e travou-se de razões com alguns jogadores axadrezados, nomeadamente Idris que, por via disso, também viu o cartão amarelo.

O jogo do Bessa foi o que se esperava, tendo em conta que o “derby” da Invicta é, por norma, dos mais “complicados” de todos, sobretudo quando, como neste caso, a superioridade territorial não é convertida em golos, que eram necessários para os “dragões” manterem o comando isolado da competição. O FC Porto foi a equipa mais ambiciosa e dinâmica, mas o Boavista, consciente de que as suas armas eram limitadas, deitou mão a tudo o que é legalmente permitido para travar o ritmo de jogo. Mas, não houve jeito, “pulmão”, nem espaço para tal.

Ainda assim, os ataques portistas, apesar de bem construídos, eram finalizados da pior maneira. À medida que o tempo passava, mesmo com as alterações feitas por Sérgio Conceição, o cenário não se modificava e o Boavista, com um precioso ponto no horizonte, nem se preocupava em sair a jogar, optando por pontapés longos, para colocar a bola a “distância segura” e espreitar possíveis contra-ataques. Só que, normalmente, não tinha ninguém para além da linha de meio-campo.

Aos 89 minutos, Sérgio Conceição colocou Hernâni em jogo. Não se registou melhoria alguma no jogo colectivo – os nervos e a ansiedade eram enormes – mas Hernâni acabou por aproveitar um falhanço defensivo axadrezado e, na última jogada do desafio, garantiu uma vitória preciosa para o FC Porto, num jogo sem grande qualidade, quezilento, muito físico e com uma arbitragem que não teve arte para segurar a partida. Porém, anulou bem um golo a Herrera (aos 71’) por fora-de-jogo do jogador portista.

O FC Porto conta agora com 27 pontos, contra 24 do Sporting de Braga, 23 do Benfica e 22 do Sporting, que visitou o Rio Ave após o fecho desta edição.

Nos outros encontros da 11ª jornada da I Liga Portuguesa, merecem destaque os triunfos do Nacional da Madeira na Vila das Aves (3-2) e do Vitória do Guimarães em Chaves, (1-0). Já Portimão derrotou o Tondela por 3-2 no Algarve.

 

*Jornalista profissional especialista em desporto