Benfica estreou-se na fase de grupos com uma vitória frente ao Hang Yuen
Benfica estreou-se na fase de grupos com uma vitória frente ao Hang Yuen

Depois da vitória em casa diante do Hang Yuen, o Benfica de Macau desloca-se agora ao terreno do Hwaepul, com o moral em cima, mas sem saber ao certo o real valor do adversário. Vários jogadores que estavam em risco, por causa dos empregos, já podem dar o contributo à equipa

 

Vítor Rebelo*

 

Chan Man, Rafael Bastardo e Nicholas Torrão, este por lesão, vão falhar o segundo compromisso do Benfica no Grupo I da Taça AFC, com jogo agendado para amanhã na capital da Coreia do Norte, Pyongyang, no confronto com o Hwaepul SC. Outros elementos do plantel estavam dependentes de autorização nos respectivos empregos, mas, pelo menos nesta deslocação, vão poder jogar.

Chan Man e Nicholas Torrão foram opções iniciais do técnico Bernardo Tavares na jornada inaugural, em que o Benfica venceu o Hang Yuen por 3-2, depois de ter estado a perder ao intervalo por 2-0, não podendo agora dar o seu contributo à equipa por razões diferentes. Chan Man é bombeiro e não foi dispensado para fazer a viagem, enquanto Niki lesionou-se no ombro esquerdo, ainda na primeira parte do desafio com a formação de Taiwan e não está em condições de jogar, embora faça parte da comitiva para Pyongyang.

“Vou lá estar a dar apoio aos meus companheiros, mas infelizmente tenho de parar talvez durante um mês, em virtude da lesão que sofri”, começou por dizer o avançado à TRIBUNA DE MACAU, já depois de realizar uma ressonância magnética ao ombro, cujo resultado oferece menos preocupações do que inicialmente se supunha.

“Não é muito grave, mas mesmo assim terei de parar cerca de um mês. Foi uma distensão no ombro, provocada pela queda num lance de bola dividida com o guarda-redes do Hang Yuen. Caí sobre o ombro, ainda tentei continuar na partida, mas não me sentia bem e era preferível sair e dar a possibilidade a outro jogador que estivesse a cem por cento”, sublinha o melhor marcador do Benfica na Liga de Elite, e que abandonou o relvado em lágrimas, aos 39 minutos.

Muitos dos que assistiram ao jogo lembram-se da forma como Niki saiu do relvado. “Saí frustrado, porque andamos há anos a lutar por isto e eu não podia dar o contributo à equipa. Quando saí, numa altura em que tínhamos acabado de sofrer o segundo golo, na sequência de uma bola perdida por mim no meio-campo, o Cuco prometeu-me que iriam chegar à vitória. Vi o resto do jogo no meu telefone, via internet, já no hospital”, referiu Nicholas Torrão.

Sobre o jogo desta quarta-feira, reconhece que o Benfica de Macau não tem muita informação sobre o adversário. “É por isso uma incógnita, não sabemos como vai ser. No entanto, vamos fazer com que a nossa identidade venha ao de cima, como aconteceu na segunda parte do desafio da primeira jornada. Não somos equipa de esperar para ver o que acontece, por isso vamos para tentar um bom resultado. Apesar de eu não jogar, vou torcer no banco, o Benfica tem várias soluções”, salientou.

 

Pouca informação sobre norte-coreanos

As informações sobre o Hwaepul são de facto escassas, mas mesmo assim ainda permitem a treinador e jogadores fazer uma análise do que poderá valer o adversário, uma vez que alguns tiveram a possibilidade de assistir, via-internet, ao encontro que os norte-coreanos efectuaram na Mongólia, a contar para o “play-off” desta Taça AFC, diante do Erchim, com triunfo claro dos norte-coreanos por 4-0. Na segunda mão, o Hwaepul voltou a ganhar, por 3-0, qualificando-se assim para a fase de grupos onde agora se encontra.

Já na abertura da série, o Hwaepul defrontou os compatriotas do 4.25 (25 de Abril), também de Pyongyang, perdendo por 1-0, o que faz com que tenha necessidade de pontuar face ao Benfica.

O Hwaepul Sport Club, que nunca esteve na Taça AFC, foi vice-campeão do seu país em 2015 e 2017, depois de já ter sido campeão em 2014, sabendo-se que a equipa, orientada por Il Mun-Ho, tem vários jogadores que habitualmente são chamados aos trabalhos da selecção principal da Coreia do Norte.

“O treinador tem alguma informação sobre este Hwaepul, mas na verdade não sabemos muito do adversário. O jogo com o Hang Yuen pode ter sido bom para tirarmos os complexos e podemos encarar a partida com outra confiança. Aconteceu-nos tudo num jogo só, foi positivo, emocionante, espectacular. Faz-nos ter sorte e as coisas podem pender para o nosso lado. Temos de acreditar que é possível ganhar e pensar que se calhar não são muito melhores do que nós”, afirmou Leonel Fernandes, autor de dois dos três golos do período de luxo na segunda parte, que valeram ao Benfica virar o resultado a seu favor.

Leonel Fernandes, artilheiro da Liga de Elite de 2017, esteve parado durante três meses, a recuperar de uma lesão, começando agora a ganhar estatuto de imprescindível na manobra atacante da equipa.

“Já me sinto bem melhor, mas ainda não estou a cem por cento. Se assim fosse, no jogo com o Hang Yuen, teria conseguido resolver alguns dos lances que me surgiram”, concluiu o dianteiro português.

 

Chegada na véspera do jogo

O Benfica segue hoje para Pyongyang, via Pequim, tendo os seus dirigentes optado por ir um dia mais tarde e chegar na véspera do jogo, do que seguir ontem e fazer uma viagem de 17 horas.

A comitiva deverá chegar à capital norte-coreana cerca das 16 horas, treinando à noite no relvado sintético do Estádio Kim Il Sung, palco da partida, cuja hora de início está ainda por confirmar, tudo apontando para que seja às 15:30 locais, mais meia hora do que em Macau.

Duarte Alves, director da equipa, acredita numa boa prestação frente ao Hwaepul: “Espero que aquela parte do nervosismo que afectou a equipa frente ao Hang Yeun, o que é natural por se tratar do primeiro jogo, tenha passado e o Benfica possa, sem a pressão do nosso público, praticar o seu habitual futebol e ganhar. Tenho confiança num bom resultado, ainda que se saiba que o adversário é forte, mais experiente e as condições climatéricas provavelmente não serão as melhores para nós. Mas isso faz parte deste tipo de competições, tanto no aspecto desportivo como organizativo”.

Pela previsão meteorológica, Pyongyang estará com temperaturas um pouco acima das registadas nos últimos dias, ou seja, 18 graus centígrados de máxima e 10 de mínima, não devendo chover, o que, a confirmar-se, são boas notícias para o Benfica.

O regresso a casa da comitiva benfiquista está agendado para quinta-feira à noite, com chegada prevista para as 20 horas ao Aeroporto Internacional de Macau.

No mesmo dia da partida entre o Hwaepul e o Benfica, defrontam-se, em Taipé, as formações do Hang Yuen e do 4.25, com os norte-coreanos, tal como o “onze” de Bernardo Tavares, à procura da segunda vitória consecutiva no Grupo I.

 

* Jornalista