A Universidade de Coimbra vai acolher um centro de investigação resultante de uma parceria com a Academia Chinesa das Ciências Sociais. Será a terceira no continente europeu, com o objectivo de promover maior conhecimento sobre a China

 

O primeiro Centro de Estudos Chineses-CASS em Portugal, e terceiro na Europa, vai estabelecer-se na Universidade de Coimbra (UC). A criação do organismo foi oficializada no Palácio Nacional de Queluz, na presença do Presidente da China (RPC), Xi Jinping, e do Primeiro-Ministro de Portugal, António Costa, e é encarada pela UC como um grande passo na cooperação com o gigante asiático.

Estes centros de investigação são criados em parceria entre a Academia Chinesa das Ciências Sociais (CASS, na sigla inglesa) e instituições académicas. O documento que oficializa a criação do Centro de Estudos Chineses-CASS, durante a visita a Coimbra de uma comitiva da Academia Chinesa de Ciências Sociais, foi assinado pelo reitor da UC, João Gabriel Silva, e pelo presidente da CASS, Xie Fuzhan.

“No mundo global em que vivemos a China é um país cada vez mais decisivo. A Universidade de Coimbra pretende estar na frente do trabalho de construção de caminhos de compreensão mútua entre a China e os países de língua portuguesa, bem como com a Europa, e esta parceria com uma instituição tão central na China de hoje como é a CASS é uma enorme oportunidade nesse desígnio estratégico”, afirmou João Gabriel Silva, citado num comunicado da UC.

Os centros, até agora com presença limitada a Bordéus e Helsínquia no continente europeu, promovem actividades para o desenvolvimento de conhecimento sobre a China, que podem passar pela organização de exposições, ou a publicação de conteúdos académicos, entre outros. Em Coimbra, vai funcionar em conjunção com a recém-criada Academia Sino-Lusófona da UC e “tendo como objectivo a promoção da cooperação entre a China e Portugal nas áreas do Direito, Humanidades e Ciências Sociais”.

“A sua fixação em Coimbra segue-se a outros sinais do reavivar da ligação secular entre a Universidade de Coimbra e a República Popular da China, visível no reforço das parcerias e eventos entre a UC e instituições académicas da China, na crescente presença de estudantes chineses, no aumento da mobilidade de estudantes da Universidade de Coimbra para instituições chinesas”, indica a nota.

 

S.F.