A Coreia do Norte acusou ontem os EUA de tentarem aumentar a tensão na península coreana com a visita do vice-Presidente a Seul, onde aconselhou Pyongyang a não testar a determinação de Washington. Os meios de comunicação norte-coreanos fizeram pela primeira vez eco da visita de Mike Pence e da reunião com o Presidente sul-coreano em exercício, Hwang Kyo-anh, num texto publicado no portal de propaganda norte-coreano Uriminzokkiri. No texto, os EUA são acusados de “terem perdido a noção da situação e o juízo”, ao quererem avivar o sentimento anti-coreano. “O novo Governo (de Donald Trump) está no caminho certo para aumentar ainda mais as tensões militares de forma imprudente, ao mesmo tempo que prejudica o regime mediante políticas hostis” e lança uma “campanha provocatória e agressiva” contra o país, de acordo com o texto. Pence ameaçou Pyongyang, ao dizer que a administração Trump pode fazer uso da determinação exibida nos ataques na Síria e Afeganistão, perante os persistentes testes de armamento, numa conferência de imprensa após o encontro com Hwang, na segunda-feira. Pyongyang destacou a “mentalidade sofisticada para fomentar a guerra” dos Estados Unidos e acusou Seul de cumprir os pedidos de Washington e “entrar no jogo da confrontação”. “Quanto mais pressões militares, ameaças e sanções irracionais realizarem, mais colocam em perigo a sua difícil situação”, afirmou o portal de Pyongyang.