A primeira audiência de julgamento do processo penal que envolve o deputado suspenso Sulu Sou e Scott Chiang, antigo presidente da Associação Novo Macau, foi adiada para a próxima semana, anunciou ontem o Tribunal Judicial de Base (TJB).

A sessão inaugural deste processo foi remarcada para o dia 16, pelas 09:30, no Edifício dos Juízos Criminais do TJB. Contactados pela TRIBUNA DE MACAU, Scott Chiang e Sulu Sou rejeitaram prestar qualquer comentário nesta fase do processo.

A defesa, liderada pelo advogado Jorge Menezes, viu assim aceite o pedido de adiamento justificado pela necessidade de mais tempo para estudar o processo e traduzir documentos. No domingo, os dois arguidos anunciaram Jorge Menezes como o seu representante depois de terem apontado dificuldades na contratação de uma equipa de defesa.

Em comunicado, agradeceram “o interesse público perante esta acção judicial e a compreensão sobre a relevância do caso ao sistema político e jurídico de Macau”, sublinhando, por outro lado, que “têm sido firmes na intenção de respeitar a independência dos tribunais, um princípio fundamental do Estado de Direito”.

Sulu Sou e Scott Chiang foram acusados da prática de desobediência qualificada – crime que terá sido praticado no âmbito de um protesto realizado em Maio de 2016 contra a polémica doação de 100 milhões de renminbis da Fundação Macau à Universidade de Jinan.

Na sequência deste processo, Sulu Sou viu o seu mandato de deputado ser suspenso após deliberação da Assembleia Legislativa.

 

C.A. com R.C.