Na “fase final” dos preparativos para a abertura do seu resort no COTAI, a MGM China assegura que o complexo irá “redefinir” os conceitos de arte e entretenimento. No terceiro trimestre deste ano, a operadora registou uma ligeira melhoria nos resultados financeiros

 

Depois de três adiamentos, o segundo empreendimento da MGM China na RAEM já não deverá sofrer mais atrasos. “Estamos na fase final da preparação para a abertura do MGM COTAI a 29 de Janeiro de 2018”, indicou ontem a MGM China Holdings num comunicado enviado à Bolsa de Valores de Hong Kong para anunciar os resultados financeiros do terceiro trimestre deste ano.

A operadora de jogo sublinha ainda que o MGM COTAI “redefinirá a forma como as pessoas desfrutam da arte e entretenimento através de tecnologia inovadora”. Graças ao “Spectacle” e “MGM Theatre” – descrito como o “primeiro teatro dinâmico da Ásia com emocionantes shows residenciais” – o resort irá oferecer “experiências espirituosas de entretenimento”, garante a MGM China, acrescentando que vai albergar uma colecção com mais de 300 peças de arte contemporânea cujos temas envolvem o intercâmbio entre Oriente e Ocidente, a tradição e a tecnologia. Além disso, assevera, será o “destino gastronómico mais criativo de Macau”, com o apoio de “chefs” de renome mundial, distinguidos com estrelas Michelin.

“Estamos confiantes nas perspectivas a longo prazo de Macau”, frisou Grant Bowie, CEO da MGM China.

Na análise aos resultados financeiros obtidos entre Julho e Setembro, a empresa destaca essencialmente a melhoria em “todos os segmentos do jogo”, comparativamente ao segundo trimestre deste ano. Segundo os dados não auditados, as receitas da MGM China atingiram 3.679 milhões de dólares de Hong Kong no trimestre terminado a 30 de Setembro, o que representa um aumento de 5% face aos três meses anteriores.

O EBITDA ajustado (resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) cresceu 3% para 1.049 milhões de dólares de Hong Kong em termos trimestrais.

 

S.T.