O Presidente da República afirmou que no próximo ano deverá realizar-se “uma homenagem em grande” ao guitarrista Zé Pedro, que morreu na quinta-feira aos 61 anos

 

Marcelo Rebelo de Sousa esteve entre as largas centenas de pessoas que passaram pelo antigo Museu dos Coches em Lisboa e pelo Mosteiro dos Jerónimos para prestar tributo a Zé Pedro. O Presidente destacou a “enorme gratidão” a um músico “que deu alegria a milhares de portugueses”.

“Há ideias para, na Primavera ou Verão, fazer uma homenagem em grande como ele gostava que fosse, com alegria, com muita gente, de todas as gerações interpretando o que ele deu aos portugueses: uma vida inteira”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, manifestando o desejo de que nesse tributo “estejam presentes os ídolos musicais da vida dele”.

Antes de deixar o Mosteiro dos Jerónimos, acompanhado pelo Primeiro-Ministro, o Chefe de Estado confessou ter ficado “emocionado” com a missa de corpo presente, uma cerimónia “muito tocante” e “participativa”, durante a qual foram cantadas músicas dos Xutos & Pontapés.

A urna saiu alguns minutos depois, sob uma enorme salva de palmas das centenas de pessoas que se juntaram na rua para a última homenagem a Zé Pedro, e ao som da música “Para sempre”. No exterior do mosteiro, a urna foi colocada em cima de um grande altar dourado e rodeada por familiares e amigos de Zé Pedro, com os companheiros da banda alinhados à frente. Populares, amigos e família aplaudiram, assobiaram, gritaram “Zé Pedro”, e os Xutos & Pontapés abraçaram-se e curvaram-se perante a urna do amigo e perante o público.

O guitarrista estava doente há vários meses, mas a situação foi sempre mantida de forma discreta pelo grupo, só tendo sido assumida publicamente a 4 de Novembro, no derradeiro concerto do músico, no fecho da digressão dos Xutos & Pontapés, no Coliseu de Lisboa.

No final na década de 1970, Zé Pedro, Zé Leonel e Paulo Borges criaram a banda Delirium Tremens, que mais tarde passou a chamar-se Xutos & Pontapés, com a entrada de Kalú e de Tim, para o lugar de Paulo Borges. O primeiro concerto realizou-se a 13 de Janeiro de 1979, nos Alunos de Apolo, em Lisboa.

 

JTM com Lusa