Um juiz da região Áncash, no norte de Peru, conduziu uma audiência e emitiu a sentença utilizando a aplicações de mensagens “WhatsApp”, noticiou a agência EFE, citando o Poder Judiciário peruano. Segundo um comunicado oficial, esta “situação inédita” foi protagonizada pelo juiz Efer Díaz Uriarte, durante uma audiência por omissão de assistência familiar. O acusado, identificado como Gerardo Cuevas Rojas, encontrava-se na cidade de Paita, na região de Piura, e não pôde viajar até El Santa devido às chuvas e inundações que assolam o norte do país. “Perante esse inconveniente e a necessidade de fazer a audiência, a equipa informática do Módulo Penal do Tribunal de El Santa, estabeleceu contacto com Rojas através do seu telemóvel”, explicou o órgão judicial. O telemóvel do arguido foi interligado a um monitor da sala de audiências para que o juiz, representantes da defesa e os autores do processo pudessem assistir à intervenção em tempo real. “Através do WhatsApp, Rojas decidiu aceitar o fim antecipado do processo por omissão de assistência familiar (arcar com a alimentação) em detrimento do seu filho e aceitou a responsabilidade no delito”, indicou. Além disso, pagar a quantia de 6.713 sóis (16.500 patacas ao câmbio actual) relativa a pensões em atraso e como responsabilidade civil. O Poder Judiciário indicou que,
“em ocasiões anteriores, o pessoal da área de informática do Módulo Penal deste Tribunal fez uso da tecnologia para recolher depoimentos de acusados e testemunhas”.