O Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM) manifestou “respeito em relação à decisão” do caso que envolve o candidato da lista “Associação do Novo Progresso de Macau”, liderada por Sulu Sou, sobre o direito de reunião durante o período de campanha eleitoral. “Nos termos do resultado do acórdão do tribunal colectivo, os candidatos às eleições para a AL podem, nas listas de candidatura a que pertencem, promover reuniões em lugares públicos, mas são obrigados a cumprir as disposições (…) da Lei Eleitoral”, referiu o IACM, em comunicado.