O Conselho de Curadores da Fundação da Escola Portuguesa de Macau (EPM) vai reunir-se hoje, pela primeira vez, nas instalações do estabelecimento de ensino, num encontro que irá assinalar a activação oficial do órgão, que substituiu o Conselho de Patronos no âmbito da alteração de estatutos concretizada no início de 2016. Conforme avançou o Jornal TRIBUNA DE MACAU há cerca de um mês, o Conselho de Curadores irá contar, na qualidade de membros honorários, com Rocha Vieira, último Governador de Macau, Eduardo Marçal Grilo, antigo Ministro da Educação de Portugal, e Ambrose So, director da Sociedade de Jogos de Macau e presidente da Direcção do Clube Militar. No entanto, pelo menos Ambrose So não irá marcar presença na reunião de hoje por estar ausente do território, por motivos profissionais. A lista dos curadores designados inclui, entre outras personalidades, Anabela Ritchie, antiga Presidente da Assembleia Legislativa, António José de Freitas, Provedor da Santa Casa da Misericórdia, Jorge Rangel, presidente do Instituto Internacional de Macau, Maria Edith Silva, ex-directora da EPM, Amélia António, presidente da Casa de Portugal em Macau, e o advogado Leonel Alves. O Jornal TRIBUNA DE MACAU apurou ainda que Guilherme d’Oliveira Martins, antigo ministro português da Educação, e o advogado Jorge Neto Valente declinaram convites para integrar o Conselho de Curadores da EPM.Ao abrigo dos novos estatutos, entre outras competências, o Conselho de Curadores deve “pronunciar-se sobre o plano estratégico” da Fundação da EPM, e suas actualizações anuais, submetidos pelo Conselho de Administração, bem como relativamente ao plano anual de actividades e orçamento. O mandato de cada curador estende-se por três anos, renováveis automaticamente por um ano se não ocorrer nova nomeação até 30 dias úteis anteriores ao termo do mandato.

S.T.