O atleta norte-americano Gil Roberts, de 28 anos, membro da equipa campeã olímpica na estafeta 4×400 metros nos Jogos do Rio-2016, acusou positivo num exame antidoping devido a beijos dados à namorada, informou a Agência Antidoping dos Estados Unidos (USADA). No dia 26 de Junho, a agência anunciou que Roberts tinha acusado positivo em Março por uso de um produto proibido – o “probenecid” – mas evitou uma suspensão por ter ingerido a substância de forma inadvertida. Segundo a agência AFP, o relatório de especialistas que levou à absolvição de Roberts especificou agora que o atleta ingeriu a substância proibida “por beijar com frequência e apaixonadamente” a namorada nos dias e horas que antecederam o exame antidoping da USADA. “Algumas semanas antes do exame realizado a 24 de Março, a senhorita Salazar (namorada de Roberts) viajou com a família até à Índia. Devido a uma infecção nos seios, ela procurou um medicamento para se curar”, refere o documento, acrescentando que “um farmacêutico local prescreveu o medicamento Moxylong, que ela continuou a usar no regresso aos Estados Unidos”. “Roberts não fazia ideia do que ao beijar a namorada poderia ingerir a substância proibida. Quando a beijou, não podia perceber o cheiro ou o sabor da droga”, concluiu o relatório.