José Rocha Diniz

José Rocha Diniz

O anúncio público da solução encontrada para preencher a liderança do Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) parece ter sido algo abrupto, sem haver razão clara para a pressa que subitamente se apoderou da Secretaria para a Economia e Finanças, em divulgar a solução encontrada para uma questão, com meses de inacção.

Assim, no ar ficou apenas a ideia do regresso de Echo Chan ao lugar que anteriormente ocupou e de onde saiu por vontade própria, o que diz pouco sobre a análise feita ao percurso anterior do Fórum, necessária e inevitável ao fim de mais de uma década da sua criação.

Ora, a solução agora encontrada parece mais resultar de um repensar das tarefas internas do organismo, que em conjunto, impediam o seu desenvolvimento. O sector administrativo deixa de sobrecarregar a secretária-geral adjunta, que assim pode dedicar-se à mais importante área estratégica e de contactos com os países de Língua Oficial Portuguesa.

É, por isso, com grande expectativa, que a partir de agora vemos a liderança do Secretariado Permanente do Fórum constituída pela secretária-geral Xu Yingzhen, que se revela muitíssimo competente, com grande conhecimento sobre a RPC que a nomeou, mais a secretária-geral adjunta Echo Chan que tem larga experiência do sector, dos países de língua portuguesa e da RAEM que a indicou.

Embora haja ainda o secretário geral adjunto Vicente Manuel indicado pelos países de língua portuguesa, o seu papel no Secretariado Permanente é igualmente importante na ligação com os delegados dos países de língua portuguesa, que têm de ser capazes de apresentar propostas viáveis.

É assim, uma solução que faz todo o sentido…