HÁ 20 ANOS

HÁ 20 ANOS

 

VITORINO: VIAGEM À CHINA

COMEÇA EM MACAU

O alargamento da NATO será um dos temas que o ministro da Defesa português, António Vitorino, vai discutir com as autoridades chinesas na sua visita oficial ao Império do Meio, de 24 a 29 deste mês. Fonte oficial disse à Lusa que a visita de António Vitorino se destina a aprofundar os laços políticos bilaterais, além de visar o alargamento da cooperação nas áreas militar e da defesa entre os dois países. No último ano, e a anteceder esta visita do Ministro da Defesa, deslocaram-se à China os vários chefes militares portugueses, bem como o Presidente da República e Comandante Supremo das Forças Armadas, Jorge Sampaio. Sobre a NATO, a preocupação da China quanto ao seu alargamento para o leste europeu está relacionada com a resposta da Rússia. De acordo com a fonte, um eventual acordo da Rússia à transferência de tropas e armamento – numa revisão do Tratado CFE – para a parte asiática do pais alteraria os equilíbrios geoestratégicos “tão do agrado” da China.

 

CIANETO NO RIO

OBRIGA A CAUTELAS

Os Serviços de Abastecimento de Água de Macau (SAAM) anunciaram ontem que o fornecimento de água da China foi suspenso na sequencia de um acidente com 200 tambores de cianeto num dos rios que fornecem água ao território. Um porta-voz dos SAAM disse ainda que a partir de quarta-feira à noite Macau está apenas a utilizar a água dos seus reservatórios, que possuem reservas para 45 dias. A China fornece a Macau água a partir de reservatórios localizados na Zona Económica Especial de Zhuhai, limítrofe ao território, que são abastecidos pelo rio Xijiang, onde ocorreu o desastre. O porta-voz dos SAAM indicou “não haver quaisquer motivos de pânico (…) uma vez que a água distribuída em Macau é completamente potável e analisada com os mais modernos padrões internacionais”. Os SAAM incrementaram o ritmo de análises laboratoriais e consideram que as águas contaminadas do rio Xijiang demorarão entre três a sete dias a chegarem ao estuário de Macau. O Leal Senado de Macau informou à agência Lusa que não foram tomadas medidas proibitivas em relação à importação de vegetais da China, mas realçou estar atento ao desenrolar da situação. Um jornal de Cantão, “Nanfang Daily”, escreveu na sua edição de ontem que, dos contentores caídos ao rio, 34 perderam cianeto, 54 estão danificados e oito encontram-se completamente vazios. As autoridades chinesas da província de Guangdong avisaram, ontem, as populações residentes em Cantão, Zhongshan e Zhuhai, junto a Macau, para não beberem água do rio pelo menos durante 72 horas, na sequência de um desastre. O desastre ocorreu na Região Autónoma de Guangxi, a 200 quilómetros de Macau, quando um veículo carregado com cerca de 200 tambores de cianeto, cada um com 50 quilos, caiu num rio que cruza Guangxi e a província de Guangdong, desaguando no estuário do Rio das Pérolas junto a Macau.