HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

A UNESCO pretende organizar em Macau, em 1998, uma reunião de jovens asiáticos para abordarem questões ligadas ao trabalho voluntário, foi oficialmente anunciado. O interesse da UNESCO em realizar a reunião e Macau foi manifestado por Boyan Radoykov, especialista da Divisão de Juventude e Actividades Desportivas (DJAD) da UNESCO, durante uma audiência com o secretário-adjunto para a Administração, Educação e Juventude, Jorge Rangel. Boyan Radoykov referiu que a realização do encontro no Território “constitui o primeiro projecto concreto de uma cooperação que aquela instituição nas Nações Unidas pretende ter em Macau”, em capítulos ligados à juventude e ao desporto. O responsável das Nações Unidas indicou também que a decisão sobre o encontro será tomada durante uma visita que Jorge Rangel vai efectuar a Paris entre 22 e 24 de Outubro para participar numa reunião, no âmbito da UNESCO sobre assuntos de educação e juventude. Boyan Radoykov considerou que Macau possui “excelentes facilidades destinadas aos jovens” e apontou a necessidade de “existirem mais técnicos para as diferentes actividades”. “Os recursos financeiros existem em Macau mas há sectores que têm carências de técnicos desportivos que a UNESCO pode ajudar a solucionar”, disse.

 

OBRA DAS MÃES TEVE UM JANTAR RENDOSO

Um leilão organizado durante o jantar anual da Obra das Mães, uma instituição de solidariedade social presidida por Leonor Rocha Vieira, rendeu à instituição 5.877,000 patacas. A peça licitada pelo valor mais alto foi adquirida por Stanley Ho, que comprou uma terrina em prata por 900 mil patacas. No final, Stanley Ho decidiu ainda atribuir ainda uma verba de 223.888,888 patacas, fixando o valor final obtido no leilão em 6.100,888 patacas. O magnata dos casinos fez ainda uma doação de um milhão de patacas destinado ao Lar de Idosos da Obra das Mães, que Leonor Rocha Vieira anunciou que será inaugurado quinta-feira. Antes do leilão, Leonor Rocha Vieira lembrou às cerca de 600 pessoas que participaram no jantar, que o dinheiro angariado vai “constituir o orçamento da Obra das Mães”. Leonor Rocha Vieira referiu na cerimónia que a Obra das Mães procura dirigir a sua acção “a todas as faixas etárias e a todas as classes sociais” e, “particularmente aos que, entre elas, necessitam de maior atenção, carinho e apoio”, como os deficientes físicos e mentais, os doentes, os sem família, e os de menores recursos económicos”.