HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

Macau vai realizar uma acção promocional em Pequim de a 24 de Abril que terá como lema “Macau – eventos todo o ano”, anunciou a Direcção dos Serviços de Turismo (DST). A acção, uma das maiores do género jamais realizadas por Macau na China, coincidirá com a 46ª Conferência Anual da Pata (Pacific Asia Travel Association) que decorrerá em Pequim de 20 a 23 de Abril, disse à Lusa o responsável pela DST, Costa Antunes. A conferência da PATA realiza-se pela primeira vez na China e atrairá a Pequim cerca de dois mil representantes de agencias de viagens, companhias aéreas e organismos oficiais de turismo. A reunião será antecedida da feira de turismo da PATA, a ter lugar em Pequim de 16 a 19 de Abril, e do congresso dos capítulos daquela organização, que decorrerá entre 15 e 17 de Abril, em Xangai. “Aproveitando a conferência da PATA em Pequim, vamos promover Macau junto dos cerca de dois mil participantes na reunião e, simultaneamente, na China, que é o nosso segundo maior mercado, depois de Hong Kong”, disse Costa Antunes. Macau aderiu à PATA em 1957, seis anos depois daquela organização ter sido criada no Havai, e integra actualmente, pelo segundo mandato consecutivo, o respectivo Conselho Directivo. Costa Antunes salientou que Macau “recebeu um convite especial dos organizadores da conferência da PATA em Pequim para patrocinar o jantar mais importante da reunião”, no dia 12 de Abril. O secretário-adjunto para a Comunicação, Turismo e Cultura, Salavessa da Costa, participará no jantar da PATA e presidirá a “Noite de Macau”, que a DST organizará no dia 24 na capital chinesa. Ao longo de toda a promoção, um dos hotéis “oficiais” da conferência da PATA estará condecorado com motivos alusivos ao território, incluindo o carro com que o piloto alemão Michael Schumacher venceu, em 1990, a corrida de Fórmula 3 do Circuito da Guia e que faz parte do Museu do Grande Prémio.

 

CONSELHO DE SEGURANÇA AVALIOU SITUAÇÃO

O Governador de Macau defendeu ontem na reunião do Conselho de Segurança (CS) do território, a necessidade de uma revisão “célere” da lei relativa ao regime penal das sociedades secretas. De acordo com um comunicado divulgado no final da reunião do CS, Rocha Vieira referiu também a necessidade de ser revista “outra legislação, que seja adequada à realidade do território e que venha a permitir a obtenção de resultados” na área das sociedades secretas. Referindo-se aos casos de delinquência juvenil com recurso à violência, o Governador destacou “a necessidade de serem tomadas medidas para contrariar” o fenómeno, mencionando também as responsabilidades que, na matéria e para além das autoridades, “cabem aos pais e às escolas”. Rocha Vieira manifestou-se, no entanto, “confiante em que, com o empenho firma da Administração, com a dedicação dos seus agentes responsáveis pela segurança e a participação e colaboração activas dos cidadãos, a luta contra o crime conduzia aos objectivos de preservação da paz social e da tranquilidade pública”.