HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

A balança comercial de Macau registou um saldo negativo de 257 milhões de patacas nos primeiros três meses de 1997, o que representa uma melhoria de 50,5 por cento relativamente ao mesmo período de 1996, indicam estatísticas oficiais. De acordo com a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC), as exportações de Macau entre Janeiro e Março de 1997, ascenderam a 3,4 mil milhões de patacas, o que representa um acréscimo nominal de 16,6 por cento em relação ao mesmo período de 1996. Entre Janeiro e Março deste ano, as importações de Macau cifraram-se em 3,6 mil milhões de patacas, correspondendo a um aumento, em valor, de 6,4 por cento comparativamente ao período homólogo de 1996.

 

TURISMO E AVIAÇÃO TÊM DE COOPERAR

Representantes de 22 países e territórios apoiaram em Macau a iniciativa da Organização Mundial do Turismo (OMT) de promover uma conferencia mundial sobre a cooperação entre os sector turístico e da aviação civil. A conferência, que poderá realizar-se em 1998, versará nomeadamente a interdependência que, na opinião dos participantes do seminário da OMT, deve existir entre as administrações nacionais de turismo e os responsáveis pelas políticas de construção de infra-estruturas da aviação civil. O apoio manifestado à iniciativa da OMT foi expresso nas recomendações aprovadas no encerramento do seminário sobre turismo e aviação, realizado no âmbito da 30ª reunião da comissão daquela organização para a Ásia Oriental e Pacífico, que decorreu em Macau. Ao apresentar as conclusões do seminário, John King, consultor da OMT, constitui um bom exemplo da cooperação que deve existir entre os responsáveis pelas políticas de turismo e da aviação civil. O consultor da OMT destacou que a entrada em funcionamento do Aeroporto Internacional de Macau (AIM), em Novembro de 1995, permitiu ao Território registar aumentos significativos no número de turistas oriundos de diversos mercados, como os de Taiwan, Japão, Coreia, Europa ou América do Norte. O secretário-adjunto do Governador de Macau para a Comunicação, Turismo e Cultura, Salavessa da Costa, que presidiu ao seminário, sublinhou no final que o AIM está a cumprir os objectivos de servir o turismo de Macau e da região do sul da China. Dos 1,3 milhões de passageiros que utilizaram o AIM em 1996, disse Salavessa da Costa, mais de 300.000 tinham Macau como destino e os restantes utilizaram o Território como ponto de escala para outras zonas da região.