HÁ 20 ANOS

HÁ 20 ANOS

 

TAIWANESES DE MACAU

ESPIAVAM PARA A CHINA

Dois membros do partido governamental de Taiwan – o Kuomintang – colocados em Macau foram detidos em Taipé por suspeita de espionagem a favor da China, revela o jornal “China Times”. A prisão de Wu Hua, 65 anos, e de outra pessoa de apelido Chang, efectuada em Taipé no dia 27 de Fevereiro, foi confirmada pelo procurador-geral do Tribunal Distrital da capital de Taiwan, Lu Jen-fa. O procurador-geral indicou que os dois indivíduos foram presos por passarem “documentos secretos do Estado” para a República Popular da China, mas recusou-se a dar mais pormenores alegando tratar-se de “um assunto extremamente sensível”. O “China Times” refere que Wu Hua era “espião da China há mais de 30 anos”. “Os suspeitos foram presos depois de terem desembarcado em Taipé para participarem numa reunião do Departamento dos Assuntos Externos do Kuomintang”, indica ainda o jornal. Wu Hua exercia as funções de curador da Casa Museu de Sun Yat-sen e de presidente da Associação Sun Yat-sen, em Macau, ao mesmo tempo que trabalhava, como voluntário, para o Departamento dos Assuntos Externos do Kuomintang no Território. Numa entrevista recente ao jornal “Hong Kong Standard”, Wu Hua anunciou planos para a restauração da Casa Museu de Sun Yat-sen, que deverá reabrir este mês depois de restauros avaliados em um milhão de patacas. A reabertura do memorial a Sun Yat-sen, que viveu e exerceu medicina em Macau antes de fundar em 1910 a República da China, está marcada para 12 de Março, data do aniversário da sua morte ocorrida em 1925. Fontes bem informadas indicaram, entretanto, que o outro detido poderá tratar-se da secretária de Wu Hua, Chang Heng Leng.

 

MENORES DETIDOS

POR CRIME DE HOMICÍDIO

A Polícia Judiciária deteve um suspeito do assassínio de um jovem de 14 anos, ocorrido no passado dia 3 no bairro da Areia Preta, junto à fronteira com a China. A PJ apresentou, igualmente, ao Tribunal de Menores, dois adolescentes, com menos de 16 anos, implicados no mesmo crime que resultou também em ferimentos graves a um jovem de 13 anos. Os atacantes usaram armas, facas e espetos de “barbecue”. A PJ deteve ainda três suspeitos e apresentou dois outros ao Tribunal de Menores por serem presumivelmente responsáveis por ofensas corporais, com armas brancas, provocadas a quatro jovens no passado dia 25 de Fevereiro um “McDonald” junto à fronteira de Macau. Os cinco marginais foram, igualmente, referenciados como membros de associações secretas em Macau.