HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

O deputado nomeado Rui Afonso, surpreendeu tudo e todos ao avançar na véspera de feriado com um pedido de demissão, que abre uma vaga na A.L. em vésperas do início da legislatura. No mesmo dia o deputado demissionário seguiu para Lisboa para participar na reunião do Conselho Superior de Justiça, funções para que foi nomeado pelos seus ex-colegas da A.L., embora estas não tenham, necessariamente, que ser atribuídas a um deputado. Devido à sua ausência não foi possível tentar obter esclarecimentos adicionais sobre as “razões particulares” que invocou para se afastar. Dado tratar-se de um deputado nomeado, caberá ao Governo indicar um novo nome, o que não deve acontecer antes da sessão inaugural da legislatura, cujos trabalhos não saem prejudicados com isso, devendo proceder-se normalmente à eleição para as comissões especializadas. Rui Afonso foi deputado na A.L. durante treze anos.

 

TURISMO DE MACAU PRONTO PARA O COMBATE

A promoção turística de Macau em 1998 vai centrar-se na optimização do Território como destino autónomo e final integrado na região do Delta do Rio das Pérolas, anunciou o director dos Serviços de Turismo. O programa de promoção para 1998 “também aposta fortemente no segmento do mercado dos congressos, incentivos e exposições”, disse Costa Antunes, ao apresentar em conferencia de Imprensa os resultados da reunião anual de coordenação de “marketing” do turismo macaense, que decorreu ao longo da semana. Além dos responsáveis pela Direcção dos Serviços de Turismo (DST), participaram no encontro os representantes daquele organismo em Hong Kong, Taiwan, Japão, Coreia do Sul, Singapura, Malásia, Tailândia, Estados Unidos/Canadá, Austrália/Nova Zelândia, Brasil, Alemanha, Reino Unido e Portugal. No encontro, cujas sessões de abertura e encerramento foram presididas pelo secretário-adjunto Salavessa da Costa, participaram ainda os delegados do ICEP em Espanha, França e Itália. “O turismo de Macau aposta numa nova atitude, acentuando novos comportamentos neste sector, mais ideias, mais inovação, integrado que está numa região de grande expansão económica, altamente competitiva e em crescente mudança”, sublinhou Costa Antunes. Os participantes no encontro, referiu, consideraram que as linhas de orientação para a promoção futura terão de ter em conta que Macau é um “destino turístico seguro e aprazível” e um “ponto de intercâmbio comercial e cultural entre o Ocidente e o Oriente”.