HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

Peritos portugueses e chineses iniciaram ontem em Macau consultas no âmbito do Grupo de Ligação Conjunto (GLC) sobre a transferência de arquivos da Administração do Território, mas escusaram-se a falar sobre os resultados da reunião. Pedro Moitinho de Almeida e Wang Xian, que lideraram, respectivamente, as delegações de Portugal e China ao encontro, limitaram-se a dizer que a reunião decorreu num “ambiente construtivo” e num “clima de cordialidade”. “O encontro entre peritos decorreu de uma forma construtiva e não é conveniente divulgar o que falámos hoje na reunião”, disse Wang Xian. O “pacto de silêncio” sobre o conteúdo da reunião, que decorreu na sede da delegação chinesa ao GLC, foi confirmado por Moitinho de Almeida que sublinhou também o “ambiente muito construtivo” e o “clima de cordialidade” em que decorreram os trabalhos. Moitinho de Almeida e Wang Xian escusaram-se igualmente em divulgar a data em que poderá decorrer uma segunda sessão de consultas sobre a questão da transferência de arquivos da Administração de Macau. O início das consultas sobre aquela questão foi solicitado pela China e aceite por Portugal, num encontro entre os líderes das delegações dos dois países ao GLC, Han ZhaoKang e Santana Carlos, realizado há uma semana em Macau. Santana Carlos e Han Zhaokhang voltaram a reunir-se na segunda-feira, tendo o chefe da parte portuguesa revelado então que solicitou ao seu homólogo chinês o início de consultas sobre a questão da nacionalidade dos cidadãos de Macau de ascendência portuguesa. Na altura, Santana Carlos recordou que a parte portuguesa concordou com a proposta chinesa sobre o início das consultas acerca da transferência de arquivos e solicitou uma disponibilidade idêntica por parte da China em relação à questão da nacionalidade. Após a reunião do dia 21, Han Zhaokang referiu que a China pretende que seja constituído, no seio do GLC, um grupo de trabalho para tratar exclusivamente da transferência de arquivos da Administração de Macau. Santana Carlos admitiu na altura que a utilidade da criação daquele grupo de trabalho seria ponderada pelas duas delegações no encontro de hoje, mas Moitinho de Almeida e Wang Xian nada adiantaram sobre o assunto.