HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

As autoridades marítimas de Macau e da China acordaram a realização de novos exercícios de treino de combate à imigração ilegal, à semelhança do realizado em Outubro nas águas circundantes do Território. Um comunicado da Polícia Marítima e Fiscal (PMF) refere que a decisão de realizar novos exercícios conjuntos foi tomada pelo comandante da PMF, capitão-de-fragata Fausto Tomás Coelho, e pelo director dos Serviços de Fronteira da província chinesa de Guangdong, Lam Kit Un, durante uma reunião destinada a avaliar o exercício em Outubro. De acordo com o comunicado, ambos os responsáveis consideraram que o exercício “decorreu de forma altamente satisfatória, tendo sido alcançados todos os objectivos inicialmente estabelecidos, os quais se situavam no quadro de combate à imigração ilegal”. Na reunião foi ainda acordado “promover reuniões periódicas entre delegações de ambas as partes para troca de informações e acompanhamento da situação na fronteira” e “desenvolver os respectivos sistemas de comunicações, tendo em vista a melhoria da capacidade de acção coordenada dos dispositivos marítimo e terrestre que cada entidade guarnece ao longo da fronteira comum”.

 

CÔNSUL JAPONÊS ACONSELHA MUDANÇA DE IMAGEM

Macau tem de apostar na intensificação do relacionamento com a região Oeste do delta do Rio das Pérolas para garantir o seu desenvolvimento futuro, defendeu o cônsul-geral do Japão em Hong Kong. Hideaki Hueda, o representante diplomático do Japão também para Macau, disse que o Território tem potencial para se transformar num “centro de serviços para empresas estrangeiras com planos de expansão na região”, e para passar de uma “cidade de casinos e turismo,” a uma “cidade de negócios internacionais e turismo”. O cônsul-geral japonês advertiu no entanto que, “Macau não pode tornar-se complacente”, mas deve começar desde já a criar condições de sustentação dos sectores dos serviços financeiros e do turismo para “concretizar o potencial que tem como via de acesso e polo de atracção de investimentos para o Oeste do Delta do Rio das Pérolas”. Hideaki Ueda falava num seminário sobre as perspectivas de desenvolvimento de relações económicas entre Macau e o Japão organizado pela Associação Macaense dos diplomados no Japão e pelo Clube Japonês de Macau.