HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

O jornal “Ou Mun” defende, em editorial, que o Território não tem necessidade de enviar constantemente delegações à capital  chinesa para tentar resolver assuntos locais. Num editorial intitulado “Em direcção ao norte”, o jornal aconselha as associações de Macau que evitem o “excesso de zelo” de enviarem delegações a Pequim para pedirem reuniões a dirigentes da República Popular da China para discutirem “questões triviais”. O “Ou Mun” diz que não quer “reduzir este tipo de acções” mas defende que “não são indispensáveis”. “As reuniões realizadas com diferentes dirigentes chineses pelas delegações de Macau parecem uma competição entre as várias comunidades para exibirem influência”, diz o “Ou Mun” que critica igualmente a projecção dada pela imprensa local às visitas e reuniões em Pequim. O jornal diz que “ter reuniões com dirigentes chineses em Pequim é de facto uma honra mas, ao mesmo tempo, leva a que os mesmos responsáveis em Pequim coloquem de lado as questões fundamentais e prioritárias para o país”. No editorial, o “Ou Mun” refere que a República Popular da China tem problemas muito mais sérios que Macau, nomeadamente ao nível do desemprego e da segurança e lembra que o Território tem uma população de pouco mais de 400 mil pessoas enquanto que a China possui mais de mil milhões de habitantes. “Se os problemas podem ser resolvidos localmente, porque não os resolvemos em Macau nós próprios?” – interroga-se o jornal chinês que considera que “os residentes de Macau devem começar a aprender a administrar Macau”, sob pena de cair por terra o conceito de “um país, dois sistemas” e “Macau governado pelos locais”.

 

PJ PRENDE “GANG” DE ADOLESCENTES

A Polícia Judiciária de Macau deteve 22 pessoas, entre os quais dois menores, de 14 e 15 anos, suspeitos de diversos crimes de fogo posto e roubo de motociclos. De acordo com um comunicado da PJ, foram detidos três jovens de 17 anos e dois menores de 14 e 15 anos alegadamente responsáveis pelo crime de fogo posto e roubo de motociclos, roubo por esticão e tráfico de estupefacientes. O comunicado indica também que foram detidas oito pessoas com idades compreendidas entre os 22 e os 40 anos por tráfico de estupefacientes, provenientes de Hong Kong, e nove pessoas por exploração e prática ilícita de jogo.