HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

O aumento da operacionalidade da Policia de Segurança Pública de Macau, a irradiação de maus elementos da corporação e uma maior ligação à população constituem objectivos traçados pelo secretário-adjunto para a segurança ao novo comandante da força policial. O secretário-adjunto para a Segurança, Manuel Monge, falava na tomada de posse do tenente-coronel Manuel Meireles de Carvalho como comandante da Policia de Segurança Pública, cargo até agora exercido pelo coronel Pinto Ribeiro  que irá assumir funções como secretário-geral do Gabinete Coordenador de Segurança e Coordenador do Centro de Coordenação Operacional. Na sua intervenção, Manuel Monge definiu a Meireles de Carvalho cinco objectivos que visam “zelar pela segurança da população de Macau” e que passam pelo aumento “até ao limite do possível da operacionalidade da PSP” já que “a corporação dispõe dos efectivos e dos meios técnicos modernos e eficientes necessários ao cumprimento da sua missão”. Manuel Monge vincou também a necessidade de “prosseguir, com redobrado rigor e vigor, o controlo da actuação do pessoal no terreno em interligação com a acção disciplinar de modo a expurgar as fileiras da PSP dos maus elementos, de qualquer escalão”. Ao novo comandante, o secretário-adjunto recomendou maior atenção na necessidade de estreitar cada vez mais a ligação à população e às suas organizações representativas” por forma a “melhorar a postura cívica dos agentes, de modo a conseguir a confiança, o apreço e a indispensável colaboração da população de Macau”. A continuidade do processo de localização é estreitar as boas ligações que a PSP já desfruta com as suas congéneres de Hong Kong e Guangdong, foram também objectivos traçados por Manuel Monge a Meireles de Carvalho.

 

CEM INTRODUZ “CARRO ELÉCTRICO”

A CEM adquiriu e tem a circular um veículo eléctrico de aspecto convencional, mas que não produz ruído nem poluição. A empresa não planeia substituir a sua frota por estes veículos, dado que os mesmos são ainda duas a três vezes mais caros do que os da gasolina, embora seja de desejar que venham a tornar-se competitivos, dadas as suas vantagens ambientais. O veículo eléctrico, um Daihatsu atinge 85 quilómetros por hora, tem 130 quilómetros de autonomia (65 em trânsito urbano) e as baterias levam a recarregar de 6 a 8 horas.