HÁ 20 ANOS

Há 20 Anos

 

MAIS 34 MILHÕES

PARA SUBSÍDIOS

O Governo de Macau anunciou que vai conceder no presente ano lectivo mais de 34 milhões de patacas em subsídios a estudantes que frequentam a educação pré-escolar e os ensinos primário e secundário. Aquele montante será atribuído sob a forma de subsídios de propinas e para a aquisição de material escolar, refere uma nota do gabinete do secretário-adjunto para a Administração, Educação e Juventude, Jorge Rangel. Os apoios “destinam-se a alunos economicamente carenciados e integram-se no regime de apoios socioeducativos concedidos pelo Fundo de Acção Social Escolar”, sublinha a nota oficial. Segundo o gabinete de Jorge Rangel, o subsídio de propinas foi aumentado no ano lectivo de 1996-1997 em dez por cento e abrangerá um total de 8.930 alunos, mais 22 por cento de estudantes do que no ano lectivo anterior. O subsídio de propinas representará uma “despesa prevista de mais de 24 milhões de patacas”, o que significa um aumento de 34 por cento em relação ao ano lectivo de 1995-1996, sublinha o gabinete do secretário-adjunto.

 

PRESO OUTRO ASSALTANTE

DO JACTOPLANADOR GUIA

A Polícia Judiciária (PJ) de Macau deteve um dos elementos alegadamente envolvidos no assalto ao jactoplanador “Guia” em 13 de Junho de 1995, disse à Agência Lusa o subdirector da PJ, José Cruz. Chan Kwai Cheng foi detido no Aeroporto Internacional de Macau quando chegava ao território proveniente de Taiwan. O suspeito de envolvimento no assalto ao “Guia” foi de imediato presente ao Juiz de Instrução Criminal, que ordenou a sua prisão preventiva. Chan Kwai Cheng tinha sido detido em Taiwan quando apresentou num hotel de Taipé um passaporte do Vietname apesar de não falar vietnamita. Interrogado pela polícia de Taiwan, Chan Kwai Cheng confessou, segundo o jornal chinês “Va Kio”, ser cidadão de Macau e um dos cúmplices do assalto ao jactoplanador em que foram roubados 10 milhões de dólares de Hong Kong. O suspeito disse que após o assalto transferiu parte do produto do roubo para o Vietname, onde permaneceu cerca de um ano e onde adquiriu um passaporte falso com o qual viajou até Taiwan. Dada a impossibilidade de ser deportado para o Vietname devido à sua documentação ser falsa, Chan foi enviado para Macau onde foi detido pela Polícia Judiciária. Às autoridades de Taiwan, Chan Kwai Cheng disse ainda, de acordo com o matutino “Va Kio”, que “o terceiro assaltante do jactoplanador ‘Guia’ se encontra na ilha nacionalista”.