HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

Macau vai participar nos II jogos da Ásia Oriental em Pusan, na Coreia do Sul, e no IV Festival Desportivo de Arafura, em Darwin, norte da Austrália, anunciou ontem o presidente do Instituto dos Desportos, Manuel Silvério. Nos II Jogos da Ásia Oriental, que se realizarão entre 10 e 19 de Maio, Macau vai estar representado por 38 atletas que vão participar em provas de atletismo, badminton, judo, natação, wushu (arte marcial chinesa) e bowling. Manuel Silvério considerou os jogos da Ásia Oriental, que se realizaram pela primeira vez em 1993, na cidade chinesa de Xangai, como o “mais importante evento desportivo da Ásia depois dos Jogos Asiáticos”. A delegação do Território, que inclui um total de 66 pessoas, será chefiada pelo presidente do Instituto dos Desportos de Macau integrando também o presidente e vice-presidente do Comité Olímpico de Macau, respectivamente Joaquim Morais Alves e Edmund Ho. Ao Festival Desportivo de Arafura, que se realiza entre 10 e 17 de Maio, descola-se a Darwin uma delegação de 86 pessoas com um total de 60 atletas que irão competir nas modalidades de basquetebol, hóquei em campo, ténis de mesa e voleibol. Durante a apresentação pública das delegações de Macau, o presidente do Comité Olímpico do Território, Morais Alves referiu aos atletas que “mais importante que as medalhas, será representar Macau com dignidade”.

 

PJ DESMANTELA REDE DE TRÁFICO DE DROGA

A Polícia Judiciária (PJ) de Macau desmantelou uma rede de traficantes de estupefacientes e imigrantes clandestinos, disse à agência Lusa o sub-director da PJ, José Cruz. A PJ deteve seis jovens de etnia chinesa com idades entre os 18 e 20 anos e uma imigrante ilegal, indicou José Cruz, referindo que os detidos integravam uma rede que fazia entrar em Macau droga, prostitutas e imigrantes ilegais. A Polícia Judiciária apreendeu também 15 gramas de heroína, duas seringas e um “objecto metálico em forma de isqueiro que dispara dois projécteis”. O grupo foi, entretanto, presente ao Juiz de Instrução Criminal “que confirmará, ou não, a prisão preventiva”, concluiu José Cruz.