HÁ 20 ANOS

Há 20 Anos

 

LIGA DE AMIZADE QUER

PRESENÇA DEPOIS DE 99

A Liga da Multisecular Amizade Portugal-China manifestou ao Presidente da República, em Lisboa, a vontade de construir em Macau uma delegação que materialize a presença da associação no território após 1999. A delegação da Liga chefiada pelo residente do Conselho Superior da associação, general Melo Egídio – governador de Macau no período 1979/81 – integrava um outro militar que também governou o território: o general Lopes Santos (1964 -66). A Liga da Multisecular Amizade Portugal-China, de que o embaixador chinês em Portugal é vice-presidente, foi criada em 1991 e desenvolve actividade em vários domínios. Política, segurança, desporto, cultura e serviços são algumas dessas áreas, tendo a Liga organizado recentemente em Lisboa um seminário para discutir a Lei Básica do Território. Um objectivo a longo prazo da Liga – que só pode ter como sócios honorários os Presidentes das duas Repúblicas (ainda não o são) – é o de conseguir que os governos dos dois países institucionalizem uma Aliança entre si, para o fortalecimento dos laços bilaterais.

 

INFLAÇÃO FICOU

NOS 5 POR CENTO

A taxa de inflação nos últimos 12 meses terminados em Novembro de 1996 atingiu cinco por cento, anunciou a Direcção dos Serviços de Estatística e Censos (DSEC). De acordo com a DSEC, a taxa de inflação registada em Novembro de 1996 mantém a tendência para a desaceleração iniciada no final de 1995. Entre Janeiro e Novembro de 1996, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC, sem rendas de habitação) aumentou 4,8 por cento, comparativamente a igual período do ano anterior. Em relação ao mês homólogo de 1995, o índice de Novembro registou um crescimento de 4,3 por cento. Na óptica da evolução mensal, o IPC aumentou 0,2 por cento entre os meses de Outubro e Novembro de 1996 atingindo o nível de 167,4. Para esta variação contribuíram principalmente os aumentos dos preços registados nas secções “combustíveis e electricidade” (mais 3,7 por cento), “vestuário e calçado” (mais 1,1 por cento) e “bens diversos” (mais 0,9 por cento). Em contrapartida verificou-se uma descida de 0,4 por cento dos preços referentes à secção “produtos alimentares e bebidas (não-alcoólicas)”, acrescentou a DSEC.