HÁ 20 ANOS
HÁ 20 ANOS

Rocha Vieira defendeu a necessidade de a Universidade de Macau (UM) se internacionalizar e permanecer ligada simultaneamente a instituições científico-pedagógicas de Portugal e da China. A UM precisa de “internacionalizar-se, ganhar maior reputação, que já tem, e servir Macau como tem vindo a servir, mas agora na criação das elites que vão conduzir a Região Administrativa Especial de Macau no século XXI”, afirmou. Rocha Vieira falava no final da cerimónia de posse do novo reitor da Universidade de Macau, Zhou Li-Gao, que, substitui no cargo Mário Nascimento Ferreira. Simultaneamente, o até agora director da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UM, Rui Martins, tomou posse como vice-reitor, funções que eram desempenhadas anteriormente por Zhou Li-Gao. A cerimónia decorreu no edifício “Luso-Chinês” da UM, inaugurado momentos antes por Rocha Vieira e que está dotado de 14 salas de ala, quatro laboratórios de línguas, laboratórios de hidráulica, geotecnia e de CAD-CAM (Computer Aid Design-Computer Aid Manufacture), além de um auditório polivalente com capacidade para 130 pessoas. Constituída um 1991, a UM foi frequentada no ano lectivo de 1996/97 por 3527 alunos, distribuídos por 26 cursos de licenciatura, 18 de mestrado e cinco de licenciamento. Actualmente, a UM encontra-se numa fase de auto-avaliação dos respectivos programas curriculares e funcionamento, que por sua vez será verificada por uma comissão de avaliação de Portugal, presidida por Veiga Simão.

 

CONSERVATÓRIO CRESCEU E TEM CASA NOVA

As novas instalações do Conservatório de Macau, ontem inauguradas “conferem maiores e melhores capacidades de resposta” ao ensino das artes no Território, disse a presidente do Instituto Cultural de Macau, Gabriela Cabelo. O novo edifício do Conservatório “irá proporcionar e assegurar no futuro as condições logísticas de aproveitamento em termos de espaços e apetrechamento técnico actualizado”, sublinhou Gabriela Cabelo, ao discursar na cerimónia de inauguração das novas instalações, presidida pelo Governador. Com projecto da arquitecta Conceição Perry, as novas instalações situam-se nas traseiras do edifício original do conservatório, uma casa do início do século localizada na Avenida Horta e Costa, e ocupam um espaço de cerca de 1300 metros quadrados distribuídos por quatro pisos. O edifício dispõe de salas individuais insonorizadas para aprendizagem de piano, salas de dança, fonoteca e um auditório equipado para concertos, recitais e espectáculos de dança.